308 CC é bom de olhar e acelerar

Andamos no novo cupê-conversível Peugeot, que chega aqui após 2010

Luís Felipe Figueiredo – O Estado de S.Paulo

Sucessor do 307 CC, o 308CC combina características de cupê e conversível para criar um agradável resultado aos olhos. O Peugeot começa a ser vendido na Europa no segundo semestre. No Brasil, só deve chegar após a estreia do hatch 308, que será feito na Argentina a partir do ano que vem.

Autos foi a Dubrovnik, na região da Dalmácia, sul da Croácia, conhecer o modelo. Assim como a cidade, que combina de forma exótica mar e montanhas, o 308CC atrai no primeiro olhar. Suas linhas são modernas, com fortes vincos no capô e nas laterais. E isso apesar de também ostentar o bocão na dianteira, uma das característica dos modelos da marca francesa. Os grandes faróis se destacam e, na traseira, as lanternas utilizam LEDs, mais eficientes que as lâmpadas comuns.

A versão avaliada tinha motor 1.6 16V com injeção direta de gasolina e turbo e gera potência de 150 cv. Ao lado do desenho, é o grande destaque do modelo. Mostra fôlego em qualquer faixa de rotação, independentemente da marcha selecionada. A ele está acoplado o câmbio de seis velocidades, com engates precisos e bom escalonamento.

A direção eletro-hidráulica combinada aos pneus 225/45 R17 dá agilidade aos movimentos. Só poderia ser mais comunicativa com o motorista em velocidade – o isolamento de vibrações é tão bem-feito que acaba tornando-a sem graça. Mas é ideal para manobras.

A posição de dirigir agrada e os bancos esportivos proporcionam bom apoio ao corpo em curvas. O ponto negativo é o ajuste do encosto por alavanca. A suspensão, do tipo McPherson na dianteira e por eixo de torção na traseira, trabalha com precisão em curvas, mas é melhor em asfalto liso. Rodando em piso irregular, transmite as imperfeições à cabine.

A fábrica trabalhou na aerodinâmica para diminuir a turbulência no interior quando a capota está aberta. Nota-se pouco vento ao rodar e é possível conversar sem problemas.

Na estrutura dos bancos dianteiros há um recurso que sopra ar quente na nuca dos ocupantes por meio de pequenas saídas nos encostos, como nos conversíveis da Mercedes-Benz.

Além de air bags dianteiros e laterais, o 308CC conta com bolsas para as cabeças do motorista e passageiro da frente – fica no apoio de cabeça dos bancos.

Em relação ao 307 CC, o 308 CC está maior em todas as dimensões – somente o entre-eixos é o mesmo. Atrás, apesar de ser um quatro-lugares, acomoda melhor duas crianças que dois adultos.

Viagem feita a convite da Peugeot
Fonte: O Estado de São Paulo