A concordata da Chrysler pode durar dois anos

A agência de notícias Bloomberg afirmou que a concordata da Chrysler pode durar até dois anos, em vez dos dois meses sugeridos pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Os 60 dias projetados em 30 de abril, durante coletiva de imprensa concedida por Obama, referem-se à venda dos ativos da Chrysler a uma nova empresa, que será a sucessora das operações automotivas.

Depois disso, os credores devem disputar fábricas desativadas e outros ativos para recuperar seus investimentos.

Fonte: Automotive Business