Aliança Renault-Nissan pode estar ameaçada com prisão de Ghosn

    Aliança Renault-Nissan pode estar ameaçada com prisão de Ghosn

    A prisão de Carlos Ghosn no Japão, pode ameaçar a Renault-Nissan. A montadora nipônica decidiu ampliar a investigação sobre as irregularidades do presidente da companhia para envolver também os relatórios financeiros da aliança. Até agora, sabe-se que o brasileiro utilizou recursos da Nissan para comprar de casas no Amsterdã, Beirute, Paris e Rio de Janeiro.

    O valor chegou a R$ 68 milhões nesse caso. De acordo com a empresa japonesa, recursos teriam sido usados da empresa Renault-Nissan BV, que tem sede na Holanda. Na França, o governo está observando com atenção o desenrolar do caso no Japão, mas haverá implicações para o executivo, que tem também nacionalidade francesa.

    Bruno Le Maire, ministro da Economia da França, disse: “(Ghosn) não está em posição de dirigir o grupo, mas não vamos pedir sua demissão porque não temos provas e estamos em um Estado de direito”.

    Aliança Renault-Nissan pode estar ameaçada com prisão de Ghosn

    Embora a posição do governo francês seja de espera, ainda mais que tem 15% das ações, existe a preocupação em relação ao desdobramento do caso. Sabe-se que Ghosn planejava também uma “fusão irreversível” entre as companhias.

    Ainda assim, La Marie tenta passar calma aos acionistas e empregados do grupo, cujas ações já despencaram com o caso Ghosn. De volta ao Japão, comenta-se que o informante fazia parte do departamento jurídico da Nissan, fato não confirmado pela empresa. na justiça nipônica, Ghosn pode pegar até 10 anos de prisão e pagar uma multa equivalente a R$ 334 mil.

    Porém, um suspeito só pode ser detido por 20 dias, de acordo com a lei local, antes de ser liberado ou formalmente acusado. O prazo máximo para que Ghosn fique preso é 8 de dezembro, mas um ex-promotor de justiça prevê que o executivo seja acusado em um dia antes do finalizado o prazo legal.

    Com a demissão certa na Nissan, Carlos Ghosn ainda continuará como presidente da Renault. Nesta terça (20), o conselho de administração da montadora francesa escolheu o diretor Philippe Lagayette para assumir interinamente o posto do brasileiro, que continua como presidente, por enquanto.

    [Fonte: Reuters]

    © Noticias Automotivas. A notícia Aliança Renault-Nissan pode estar ameaçada com prisão de Ghosn é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.