Argentina bate recorde de produção e exportação de veículos em 2010

                                             Setor automotivo representa 44% do crescimento industrial argentino.
Desde a crise de 2002, indústria automobilística cresceu 350% no país.

Do G1, com informações da France Presse

A produção automotiva na Argentina, que este ano atingirá um número recorde superior a 700.000 unidades, se transformou em um dos principais motores do vigoroso crescimento industrial no país em 2010.

“A indústria automotiva bate, este ano, todos os recordes históricos em produção e exportação e estes resultados nos permitem também projetar 2011 com otimismo”, disse Aníbal Borderes, presidente da Associação de Fábricas de Automotores (Adefa).

O setor responde por 44% do crescimento de 9,7% de todo o setor fabril argentino nos onze primeiros meses do ano, período no qual acumulou um total de 656.801 unidades produzidas, das quais 407.807 chegaram a portos no exterior, sobretudo brasileiros.

Em novembro, por exemplo, segundo o último dado oficial disponível, a Estimativa Mensal Industrial registrou um avanço de 12,5% e teve como principal impulsionador a atividade automotiva, que foi a que mais cresceu, com 35,2%.

O dado se mostra relevante quando comparado com a melhor época do setor na década de 1990, quando sua participação era de apenas 0,6%.

Argentina vai priorizar veículos do Mercosul, diz ministra da Indústria Fiat anuncia investimento de R$ 3 bilhões em nova fábrica em PE Fiat anuncia plano de fabricar novo veículo na Argentina PSA inicia produção em série do Peugeot 408 na Argentina O principal produtor automotivo no país é a General Motors Argentina, que produz 19% do total de veículos fabricados no país, seguido de Peugeot-Citroen (18%), Ford e Fiat (13%), Volkswagen e Renault (12%), Toyota (10%) e Mercedes-Benz (2%).

Desde a crise que sacudiu os ´hermanos´ em 2002, que provocou uma queda na economia de 10,9%, o setor cresceu 350% e de forma quase ininterrupta, com exceção do ano passado, quando foi afetado pela crise internacional, segundo a consultoria abeceb.com.

O salto aumentou a participação do país sul-americano na produção mundial, que chegaria a 1% do total no fim de 2010.

“Este número pode parecer pouco importante, mas ao se considerar que os mercados aos quais a Argentina tem acesso são substancialmente menores em tamanho do que os acessam outros países como Estados Unidos, China ou Japão, o dado é extremamente relevante porque o país poderia estar entre os 20 maiores produtores mundiais”, ressaltou o documento da consultoria.

As fábricas argentinas exportaram no ano passado 322.495 veículos e até este momento do ano, o número subiu para 407.807 unidades, sobretudo com destino ao Brasil (84,5%), México (5,5%), Europa (2,7%), Uruguai (2,2%), Venezuela (1,2%) e Chile (1,1%).

Fonte: G1 Globo Online