As escolhas que o mercado de carros oferece

O jornalista Joel Leite, da Agência Auto Informe, escreve que quando o consumidor tem só R$ 30 mil para comprar um carro zero, não há escolha: vai levar pra casa um popular 1.0 com, no máximo, direção hidráulica. Quem sabe o ar-condicionado. E muito provavelmente de uma das quatro marcas tradicionais, pois além delas somente a Renault e Peugeot (só venda pela internet) têm carros nessa faixa de preço. A rigor, com menos de R$ 30 mil o consumidor tem apenas nove entre as 186 opções que o mercado brasileiro oferece: Celta, Mille, Ka, Clio, Gol City e Gol novo básico, Peugeot 206, Corsa Classic e Palio Fire — as quatro últimas são versões de modelos que já foram reformulados mas usam a carroceria velha. Mas se o sujeito melhorou o padrão de vida, pode investir R$ 40 mil, R$ 50 mil ou mais num automóvel, as suas opções aumentam muito: há quase duas centenas de carros de marcas e estilos bem diferentes daqueles que o novo consumidor médio brasileiro estava acostumado a comprar. O balanço do semestre mostra com clareza a busca desse novo consumidor por um carro diferenciado: mais equipado, mais confortável, mais potente, maior, mas, sobretudo diferenciado. Tecnicamente, ele sabe, as diferenças são poucas entre uma marca e outra. Mas no mercado de consumo a grife também conta. A busca do status é o passo seguinte à necessidade (14 de julho).

Fonte: Automotive Business