Até factorings limitam crédito para empresas

Agencia Estado

SÃO PAULO – Com problemas de caixa, as empresas brasileiras não têm conseguido recursos no sistema financeiro nem mesmo nas empresas de factoring. As mais encrencadas são as pequenas e médias. Antes da crise a relação desses empresários com os bancos era de total intimidade. Cafezinho para lá, crédito para cá. E assim ficava mais fácil contar com recursos para o capital de giro.

Não se trata da costumeira choradeira. Desta vez há uma série de dados que explica porque a situação é grave. Cresceu o número de pedidos de recuperação judicial, refletindo o aumento da inadimplência, dos títulos protestados e dos cheques sem fundo da pessoa jurídica. Renato Oliva, presidente da Associação Brasileira dos Bancos, que representa as entidades de pequeno e médio porte, afirma que hoje há entre 15% e 20% menos dinheiro no mercado do que havia até setembro, quando começou a crise financeira global. “A fonte secou. Os bancos estão buscando fontes alternativas”, afirma Oliva.

Segundo dados do Banco Central (BC), em janeiro as concessões de crédito para empresas caíram 12% em relação ao mesmo mês de 2008. Passaram de R$ 95,3 bilhões para R$ 84,4 bilhões. Na comparação com dezembro, a queda foi de 24%.No capital de giro, houve recuo de 5% em relação a janeiro de 2008. Na comparação com dezembro, o tombo foi de 45%. Entre as opções para injetar recursos no mercado está o Fundo Garantidor de Crédito. O BC disponibilizaria aos bancos dinheiro do FGC com a garantia de que as instituições financeiras formassem carteiras de crédito no prazo de 30 dias. Sem isso, os recursos voltam para o fundo. Na operação, o banco emite título, vende ao fundo e depois oferece os créditos concedidos como garantia. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo
Fonte: O Estado de São Paulo