Banco Mercedes-Benz financia R$ 3,7 bilhões em onze meses

Liberação de crédito é 19% maior do que a registrada há um ano

REDAÇÃO AB

De janeiro a novembro o Banco Mercedes-Benz computou R$ 3,7 milhões em novos negócios, resultado 19% maior que o registrado em mesmo período de 2012 e muito próximo da meta estabelecida para o ano, de R$ 3,8 bilhões e volume de crédito para o financiamento de veículos da marca, informa a instituição em comunicado divulgado na quinta-feira, 19.

Em novembro, o banco desembolsou R$ 448 milhões, o que representou crescimento expressivo de 78% sobre o desempenho de idêntico mês do ano passado, quando os financiamentos somaram R$ 252 milhões. Este é o segundo melhor mês da história do banco em 17 anos de operações no Brasil, superando agosto deste ano, com R$ 436 milhões, o segundo melhor mês até então.

“Vale ressaltar que o resultado é fruto de um foco bem definido pelo Banco Mercedes-Benz ao identificar e trabalhar para concretizar os planos de renovação e investimentos das companhias atuantes em setores promissores do mercado”, explica Angel Martinez, diretor comercial do Banco Mercedes-Benz.

Por segmento, o de veículos comerciais vem mantendo o ritmo de crescimento desde o início do segundo semestre, respondendo por um volume de R$ 2,8 bilhões em financiamentos realizados no acumulado de onze meses, aumento de 23% sobre o ano anterior. Já automóveis, apesar da estratégia alinhada com a fábrica para incrementar os negócios, o segmento apresentou recuo de 9% na mesma base de comparação, para R$ 109 milhões contra os R$ 120 milhões do ano passado.

Em novembro, o saldo da carteira do banco fechou em R$ 10,6 bilhões, 70% acima da registrada há um ano.

“Para o último trimestre, adotamos campanhas agressivas de incentivo a financiamentos de automóveis da marca, dando suporte direto à rede com ações de fomento às vendas. Balizamos nossa decisão após análise do melhor período para voltarmos a atuar com campanhas específicas, que se deu justamente no fim do ano, quando os efeitos do IPI Imposto sobre Produtos Industrializados começam a diluir sobre o segmento de importados”, finaliza Martinez.

Fonte: Automotive Business