Brasil ganha destaque na crise, afirma Volks

PAULO DE ARAUJO
colaboração para a Folha de S.Paulo

Com os mercados automotivos em queda livre nos Estados Unidos e na União Europeia, o Brasil deve ganhar cada vez mais destaque. As medidas de incentivo do governo, como a redução do IPI e a retomada do crédito, funcionaram para recuperar a confiança dos consumidores e garantir crescimento nas vendas. E a expectativa é que evitem uma queda superior a 5% neste ano.

A avaliação é do presidente da Volkswagen no Brasil, Thomas Schmall.

De acordo com ele, as vendas da Volks no Brasil cresceram 17,4% em março em relação ao mesmo mês de 2008, mais do que o setor (16,9%). Foi o segundo melhor resultado, atrás da Alemanha, que apresentou alta de 29% graças a um programa do governo para subsidiar a renovação da frota, com um bônus de 2.500 para o consumidor que comprar um carro novo. Na China, as vendas aumentaram 3,5% no mês.

Para o ano, a previsão de Schmall é que o mercado de veículos no Brasil caia entre 2% e 5%, em linha com as projeções da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), que vislumbram declínio de 3,9% nas vendas. Mas, com as incertezas geradas pela crise, a Volks não descarta um cenário pessimista, com retração de 15%.

“Mas vemos que o Brasil anda bem. O país tem algumas vantagens na crise, como o fato de depender relativamente pouco das exportações. Isso evita um impacto maior”, disse Schmall ontem a jornalistas.

A Volkswagen planeja 50 novos lançamentos no mundo em cinco anos. Só no Brasil, haverá 16 lançamentos neste ano, sendo dois modelos novos, que entram no mercado no segundo semestre, segundo Schmall.

A maior parte dos R$ 3,2 bilhões que a empresa deve investir até 2011 no país se destina ao desenvolvimento de novos produtos.

O impacto do IPI reduzido sobre as vendas de veículos deve se diluir nos próximos meses, na avaliação do presidente da Volks. Para ele, uma segunda prorrogação do benefício “não ajuda”. “Funciona mais enquanto é provisório.”

Fonte: Folha Online