Camaro repete receita do original por R$ 185 mil


Esportivo chega ao Brasil como nos velhos tempos: tração traseira, muita potência, aspecto quarentão e preço atraente; Confira teste

Hairton Ponciano Voz

Novo Camaro, estrela da série Transformers, chega ao Brasil a partir de R$ 185 milEle esbanja estilo por onde passa e arranca suspiros, dos mais jovens aos mais velhos. O Camaro está de volta, completamente reformulado para bater de frente com os superesportivos europeus. O modelo começa a ser vendido no Brasil por R$ 185 mil, após ser uma das principais atrações no Salão do Automóvel. Por esse preço, não há nada tão potente (406 cv). Para conferir o que ele tem a oferecer, levamos para a pista esse modelo manual, que não virá ao Brasil, por enquanto a Chevrolet irá disponibilizar apenas a versão automática do cupê. O Camaro 2010 é fiel às origens. O estilo retrô do cupê segue as linhas do modelo produzido entre 1967 e 1969. Tem frente longa, duas portas, teto descendente, traseira curta e lanternas duplas. Um pouco de atenção e a gente percebe que nem tudo é tão saudosista assim.

As enormes rodas de 20 polegadas usam pneus Pirelli Pzero largos e baixos (245/45 na frente e 275/40 atrás). Atrás delas, aparecem os freios a disco nas quatro rodas da Brembo. Até então, a gente não sabia se o Camaro SS seria bom de acelerar, mas algo já dizia que não teria problema para parar. Entro no carro, viro a chave e o clássico ruído de V8 norte-americano tira do silêncio a pista de Tatuí. Vai começar o show. Engreno a primeira das seis marchas do câmbio manual e entro na pista. Com o controle de tração desligado, piso no acelerador, solto a embreagem e os pneus começam a queimar borracha, sinalizando que motor é o que não falta ao Camaro. A experiência serviu para ensinar que a saída deveria ser muito cautelosa e com aceleração suave, sob pena de gastar pneus sem sair do lugar.

Espelho, espelho meu. Existe algum carro mais rápido que eu? Sim, vários. Mas não por esse preçoDosando a aceleração e a embreagem, o Camaro SS mostrou na prática o que significa o termo “muscle car”: o cupê fez 0 a 100 km/h em 5,8 segundos, apenas 0,1 s a mais que o tempo obtido pelo Porsche Panamera S (V8 de 400 cv), testado na edição passada. Se forçasse um pouco mais, talvez esse número baixasse, mas a ocasião pedia cautela. Ali estava um carro de showroom, e nessas ocasiões todo cuidado é pouco. Mesmo assim, para um automóvel de quase 5 metros de comprimento (4,84 m), quase 2 m de largura (1,92 m) e 1.746 kg, não está nada mal.

Méritos para o motor LS3 do Camaro, basicamente o mesmo que estreou no Corvette 2008. Graças à cilindrada elevada (6.2), esbanja não apenas potência, mas também tem torque de sobra: são 58 kgfm a 4.600 rpm. Isso explica a necessidade de se dosar muito bem o acelerador nas arrancadas. Os projetistas foram saudosistas no número de válvulas (apenas duas por cilindro) e na árvore de comando (somente uma), mas avançados na escolha do material do bloco (alumínio).

Uma curiosidade: a Chevrolet tem dois motores V8 para o Camaro. Um para o modelo equipado com câmbio manual (LS3) e outro para o modelo automático (L99), vendido oficialmente pela GM. No caso do L99, a potência cai de 426 para 406 cv, assim como a taxa de compressão, que baixa de 10,7:1 para 10,4:1. Só na versão automática o motor conta com sistema de desligamento automático de quatro cilindros, para economia de combustível.
Voltando ao nosso LS3, o motorista precisa de tempo para se acostumar ao câmbio Tremec de seis marchas, porque a alavanca tem curso um pouco longo. Em ritmo tranquilo, não há problemas, mas com aceleração máxima os engates não são tão precisos. O volante de grandes dimensões deixa claro que os designers procuraram seguir à risca a proposta original do carro. Apesar da pegada retrô, no entanto, a direção acomoda os comandos de som e do controlador de velocidade. Na versão automática (seis velocidades), traz alavancas para mudança de marchas.

Para um esportivo, particularmente acho que a direção poderia ser um pouco mais direta. Mas no Camar
Fonte: Auto Esporte