Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    Olá pessoal! Meu nome é Joel e em 2014 publiquei aqui no NA minha avaliação dos recém comprados Prisma LT 1.0 e Prisma LTZ 1.4 AT6, ambos 2014/15, que substituíram um Classic LS 2011/12 e Uno Way 1.0 2011/12, respectivamente.

    Quatro anos se passaram e aqui estou para mostrar as minhas impressões finais do Prisma LT 1.0 preto, que vai dar adeus à nossa garagem e dar lugar a um … (depois eu conto).

    Bom, ele foi comprado em 05.12.14 por R$ 39.290 e na avaliação anterior destaquei o bom atendimento da rede Chevrolet de vendas, os itens de série adequados, com destaque para o Siga-me e Leve-me, o rodar suave dos pneus 185/70 R14, a incógnita do consumo e a pequena reserva de combustível, (in)capacidades do SPE/4 de 80 cv, excelente sensação de conforto e estabilidade, bom câmbio, a desnecessidade do MyLink, baixo valor da troca óleo, etc.

    Hoje ele tem pouco mais 53 mil km rodados com muito louvor e gratidão. Só para constar, é o segundo carro com mais tempo em minha família e também o segundo mais rodado (tivemos um inquebrável Mille EP 95/96 entre 1998 e 2004), o que é sinônimo de boas aventuras.

    Os nossos carros se tornam membros da família e cada um deixou impressões marcantes (para o bem e para o mal). E com esse Prisma não foi diferente!

    Vamos sempre lembrar do “Prisma Cross”, que ficou “preso” em uma ladeira de barro altíssima e cheia de valas em Itanagra-BA nas férias de 2016/17.

    Mas vamos ao que interessa… a avaliação final!

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    VISUAL

    Ao longo do tempo fiz modificações e melhorias pontuais, como a troca das rodas aro 14 por aro 15 e pneus assimétricos em dezembro passado, novas calotas na cor grafite, aplique escurecido nas lanternas, grade em preto brilhante, nas laterais, a barra cromada na canaleta dos vidros, e aplique preto nos símbolos Chevrolet.

    No interior, apenas nova cor das molduras da saída de ar e as que envolvem o câmbio e o volante para grafite para diminuir os cromados da GM.

    Acredito que o visual do modelo em si não envelheceu e ainda me impressiono com a beleza, principalmente em relação aos seus concorrentes contemporâneos, o Voyage, Ka Sedan e Grand Siena, por exemplo. (visão pessoal)

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    MOTOR, CÂMBIO, DESEMPENHO E CONSUMO

    O Prisma tem pedal sensível, se esticar acima de 3.000 rpm o consumo sobe. E demoramos para aprender isso! Mas agora velocidades máximas não passam de 100km/h (120km/h em ultrapassagens) comigo e a ordem é não ter preguiça de passar marcha e manter rpm tranquila.

    Sentimos nítida evolução de consumo nesses 04 anos, principalmente usando gasolina aditivada (13-14km/l na estrada) e com os novos pneus. No álcool, difícil ter boas medidas! Com o ar ligado, nenhuma diferença significativa de consumo e disposição, então usamos com frequência, inclusive, gela toda a cabine rapidinho.

    Sobre sua valentia, retomadas realmente não são o ponto forte, como disse em 2014 [aliás, é claro que um 1.0 aspirado não foi feito para isso]. Noto falta de força em rotação baixa e subir ladeiras pode ser cansativo. Curiosamente, sai muito bem da inércia. A terceira marcha consegue chegar a 100-110km/h.

    Caso queira se “divertir” com seus 80 cv (até pretensioso falar isso), confirmo que o SPE/4 passa de 145 km/h em pista (sabendo trocar a marcha) sem titubear ou deixar os passageiros inseguros.

    É interessante como não balança e o volante não treme, mesmo sendo leve (direção hidráulica) e com rotação alta. O carro continua na mão. Mudanças de curso, por exemplo, para ultrapassar ou se livrar de algo na pista, podem ser feitas com boa segurança e curvas acentuadas podem ser fechadas a 95 km/h sem problema.

    Notamos significativa melhoria nos ruídos – que já eram poucos – após a compra dos pneus assimétricos 185/65 R15 (72db e nota B de consumo). Viajar a 90-100km/h é tão tranquilo, tão silencioso. Recomendo!

    Sobre o câmbio, continua sendo a coisa mais bonita desse carro: leve e preciso. Faça bom uso!!!!! Na pista, a 3ª marcha consegue se sobressair quando acionada em emergência, enquanto na cidade mantém o silêncio e o bom rodar do carro até 53 km/h.

    A 4ª tem uma certa força na pista e dá para usar em ultrapassagens ou em velocidades até 80km/h se preferir baixa rotação.

    Já a 5ª, por sua vez, só uso para estabilizar 3100 rpm e manter 100 km/h (sem ruídos), pois não gosto de usá-la em ultrapassagem, dada a falta de reserva de força suficiente. Sinto falta da 6ª marcha que usei em um Onix Joy 2018 este ano.

    O marcador de combustível realmente tem programação para demorar de cair antes do nível de combustível chegar a meio tanque. Já a reserva passou a ser muito boa e é possível andar uns 40km mesmo com o sinal piscando no painel ao lado do nome “FUEL FILL ou COMB”.

    Os freios são eficientes, só estranho que em paradas bruscas ouço som de ferro batendo. Isso acontece desde que comprei. Já olharam e não é nada.

    Enfim, o Prisma LT 1.0 não é lento e nem proeza de desempenho, mas tem seu lugar. É um carro que mostrou boa desenvoltura ao longo dos 4 anos.

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    ACABAMENTO E OUTROS

    Ressalva para os tecidos dos bancos. Apesar de resistentes [não rasgaram e nem soltaram costura], sujam com extrema facilidade e até se cair gotas d’ água mancham, isso fez usar muita espuma multiuso para mantê-los dignamente utilizáveis.

    Destaque para os plásticos laterais e do painel, que não perderam a cor e continuam sem ruído e firmes. No volante, noto uma perda de material e cor nas bordas. Luzes internas continuam perfeitas e não queimaram.

    O estepe é uma vergonha e só serve para desalinhar o carro quando utilizado. Pior que ele só o macaco que vem de fábrica. Péssimooooo! As maçanetas externas soltaram óleo na chaparia até o ano passado, salvo engano.

    Entrega relativa boa vida a bordo, com o bom espaço interno (2,53m de entre eixos), a posição alta de dirigir (que gosto demais), a inclinação dos bancos traseiros e porta malas gentil. Uma pena o volante não ter regulagem de altura, em viagem longa isso cansa muito. Acho os bancos dianteiros estreitos.

    Fica aqui o elogio para o “Leve-me e Siga-me”, que acendem os faróis para localizar o carro. Excelente serventia.

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    MANUTENÇÃO

    Esse é o destaque. Em 4 anos de uso a única rotina foi troca de óleo com filtro (a cada 5.000 km nos dois primeiros anos e a cada 10 mil depois disso), filtro de ar (R$ 15,00), do ar condicionado (R$ 40,00), de combustível (R$ 18,00) e fluído de arrefecimento (R$ 10,00); alguns de ano em ano e outros a cada 6 meses.

    A troca óleo para 10mil km realizada em setembro custou R$ 112,00, uma bagatela, com óleo Lubrax+. O AC Delco ficava R$ 170,00. Ah, fiz a troca do fluído do freio uma vez, mas não lembro o preço e também do óleo da direção hidráulica (baratinho). Troquei a bateria esse ano por R$ 320,00 (Moura).

    O carro é extremamente barato de custear. As partes mecânica e elétrica permanecem originais e nunca apresentaram problemas, inclusive, vidros, faróis, travas e alarme.

    Por desgaste (Alagoinhas-BA continua sendo uma parte da lua, com suas crateras), esse ano precisou de novos amortecedores dianteiros, ao custo de R$ 750,00 o par; pivôs (R$ 70,00 cada um) e bieletas (R$ 80,00).

    E por incrível que pareça o serviço mais trabalhoso foi a troca de um parafuso da roda dianteira, que luiu e custou R$ 10,00 mais a troca, de R$ 70,00.

    Acreditem, não queriam precisar fazer isso, pois precisa soltar o cubo da roda e praticamente deslocar toda a suspensão, já que o bendito parafuso fica preso no meio disso tudo, sendo necessário usar um maçarico para romper o parafuso ruim e fazê-lo cair – o que durou umas 2h para fazer.

    De todo modo, é um carro inquebrável. Por fim, não faz vergonha alguma [nesse quesito] o fato de o SPE/4 derivar diretamente do antigo MPFI que equipou o Corsa 94 e toda a linha de compactos GM desde então.

    Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014

    MY LINK

    O MyLink 1 não fez falta nesses 04 anos. Realmente valeu a pena não pagar os R$ 2.160,00 cobrados pela concessionária na época da compra.

    SEGURO, EMPLACAMENTO E REVENDA

    O seguro nunca passou de R$ 1.100,00 e o emplacamento se manteve assim também.

    O seguro 2017/18 (cobertura total) saiu por R$ 990,17. Quanto à venda, a concessionária levou por R$ 35.000.

    INDICARIA O PRISMA LT 1.0 ?

    Indicaria sim. Não por ser proeza de economia de combustível, porque imagino que outros 1.0 sejam mais econômicos, mas por ser inquebrável, baratíssimo de custear, espaçoso, com bom conforto e desenvoltura condizente.

    Além disso, desvalorização baixíssima. E o visual é bacana.

    SOBRE O SUCESSOR DO PRISMA LT 1.0 2014/15

    Logo logo irei apresenta-lo! Dica: é Chevrolet!

    © Noticias Automotivas. A notícia Carro da semana, opinião de dono: Chevrolet Prisma LT 1.0 2014 é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.