Carro nacional custa 9 vezes mais que americano

O Civic hatch,que custa em Paris R$ 53.500,00
Brasileiro trabalha 1.890 dias para comprar modelo que nos EUA se leva 155 dias

da Redação

A indústria automobilística brasileira já fala com orgulho que o país é hoje o quarto maior mercado mundial, atrás apenas de China, EUA e Japão. Mas, se tivéssemos as mesmas condições de compra dos consumidores desses países, as vendas certamente seriam muito superiores.

Segundo o site Fast Driver, que fez alguns cálculos para verificar o tamanho da encrenca, a combinação de uma carga tributária abusiva somada a uma boa margem de lucro das montadoras têm transformado o carro nacional em um produto extremamente caro a ponto de modelos mais sofisticados, importados de países asiáticos e europeus, chegarem com preços competitivos, apesar da alíquota de importação de 35% e os custos de frete.

“Prova disso é que o brasileiro precisa trabalhar em média quase nove vezes mais que o americano para pagar um Honda Civic LXS automático. O modelo é fabricado em ambos os países e foi escolhido nessa comparação por possui características praticamente idênticas, algo um tanto raro. Porém, enquanto o exemplar nacional custa R$ 70.830 (cerca de US$ 39.300), o Civic fabricado nos EUA sai por apenas US$ 19.715, ou seja, metade do preço do brasileiro”, diz.

Segundo a publicação, a situação já soaria absurda se os dois países tivessem renda per capita semelhante. “Mas é justamente esse abismo econômico que agrava a condição do cliente brasileiro. Em média um americano ganha US$ 46.400 por ano, segundo o Banco Mundial. Já cada habitante brasileiro consegue somar apenas US$ 10.400 anualmente.” Com essa renda média, é preciso trabalhar 1.890 dias para pagar um Civic brasileiro. Já o americano, em média, necessita de apenas 155 dias.

Sem falar que a classe média brasileira é muito menos expressiva do que a norte-americana. “Para citar um exemplo, nós consumimos 50 mil Civics em 2009 enquanto os EUA, cerca de 260 mil, mesmo com a crise. Mas o fato de o sedã da Honda ser considerado um carro médio aqui e compacto lá já denota a tremenda distorção que existe no mercado brasileiro. Se um Civic, Corolla ou qualquer outro carro equivalente custasse cerca de R$ 37 mil quantas unidades não teriam sido vendidas no ano passado?”, pergunta.

O abismo não existe apenas em comparação com veículos dos EUA. Na última semana, a reportagem de Interpress Motor esteve na concessionária Japauto (Honda), em Paris, e conferiu uma unidade hatch do Civic (por sinal, seu porta-malas é de 500 litros, contra 340 do sedã), dotado de mais tecnologia em relação ao brasileiro (lá o carro já não tem partida na chave e sim no botão, por exemplo).

O preço? 22 mil euros (cerca de R$ 53.500), bem mais barato do que o Civic vendido no Brasil, que parte de R$ 65.745). O automóvel fabricado no Brasil paga aproximadamente 40% em impostos.

Colaborou Luís Perez, enviado especial a Paris

Fonte: Interpress Motor