Celta ultrapassa a marca de 1,5 milhão de unidades produzidas


foto de Divulgação

Até julho, serão 1,9 milhão de unidades produzidas, junto com o Prisma

Produzido no Complexo Industrial Automotivo de Gravataí, no Rio Grande do Sul, o Celta ultrapassou recentemente a marca histórica de 1,5 milhão de unidades produzidas, número que o coloca entre os Chevrolet mais vendidos na história da GM do Brasil. Eficiência de desempenho e economia de combustível, além de robustez, baixo custo de manutenção e alto valor de revenda, são alguns dos fatores que garantem vida longa ao compacto da Chevrolet, best seller do portfólio da marca no País.
O modelo, líder de vendas da marca, passou por importantes atualizações ao longo dos anos, com modificações externas, internas e de conteúdo que o deixaram ainda mais competitivo no segmento dos compactos.

Vendido em duas versões – LS, disponível com carroceria de duas e quatro portas; e LT, a mais completa da linha, com quatro portas -, o compacto oferece uma ampla gama de acessórios que atende aos consumidores que desejam personalizar o modelo: são nada menos que 80 itens de acessórios para personalizar o modelo, entre componentes de segurança, aparência, conforto e conveniência, e sistema de som. Alguns deles são: spoiler dianteiro e traseiro, aerofólio, farol de neblina, saias laterais, adesivos de coluna, rack de teto, alarme antifurto, direção hidráulica, ar-condicionado, navegador com GPS, geladeira, cabide, películas para escurecer os vidros e diversos equipamentos de som com vários recursos de entretenimento.

Primeiro veículo oriundo do projeto “Blue Macaw” (Arara Azul), o Celta nasceu junto à criação da fábrica da GM de Gravataí. Baseado no conceito da empresa em oferecer ao mercado automotivo brasileiro um veículo moderno e de pequeno porte, o Celta já teve mais de 1,5 milhão de unidades montadas.

Juntamente com o sedã Prisma, o Celta será responsável pelo atingimento da expressiva marca de 1,9 milhão de veículos produzidos em Gravataí no próximo mês de Julho, abrindo, assim, contagem regressiva para o número histórico de dois milhões de unidades.

Ricardo Panessa

Fonte: Auto Estrada