China reduz imposto e vendas voltam a crescer

 Carros 1.6 têm desconto de 50%; segmento representa 70% do mercado
REDAÇÃO AB
a crescer em setembro após três meses consecutivos de queda em comparativos mensais, fato inédito naquele mercado. De acordo com dados da consultoria Focus2Move, os emplacamentos fecharam o mês com pouco mais de 2,02 milhões de unidades, aumento de 21,6% sobre agosto e pequena alta de 2,1% na comparação com setembro de 2014.O resultado positivo é efeito da decisão do governo chinês que reduziu pela metade o imposto sobre as vendas de automóveis com motores de até 1.6, segmento que responde por quase 70% do total das vendas no país. A medida é válida até o fim de 2016.A intervenção veio após o alerta que acendeu no fim de agosto, com três meses de retração consecutiva e quando as vendas acumuladas até aquele mês cresceram apenas 2%, o que poderia levar o mercado à sua primeira queda anual desde que começou a decolar, no fim de 1990. Com o fechamento de setembro, os licenciamentos do acumulado subiram 2,1% contra os mesmos nove meses de 2014, para 17,36 milhões de unidades. A Volkswagen segue como líder do mercado chinês com 11,6% de participação, considerando os emplacamentos do acumulado do ano, apesar da queda de 8,7% do volume sobre mesmo período do ano passado. As marcas locais Wuling e Changan aparecem na segunda e terceira posição do ranking com fatias de 6,6% e 5,7% do mercado. Toyota e Hyundai ocupam a quarta e a quinta colocação do ranking no acumulado, ambas com 4,3% do mercado. Confira abaixo as 10 maiores marcas em vendas na China:
Fonte: Automotive Business