Chrysler queima estoque com promoções

Chrysler 300 C                               Chrysler PT Cruise                           Chrysler Trazo C, cancelado pela montadora
Frutos da união com a Fiat ainda são incertos no Brasil

Alberto Cataldi

Nos Estados Unidos, a união da Chrysler com a Fiat se tornou promessa de renovação tecnológica e mudança estrutural para a empresa norte-americana. Enquanto isso, no Brasil… os frutos da união das marcas ainda é incerto. A princípio, a nova empresa não alterou muito os negócios da Chrysler no país. “O que a Fiat tem ajudado é em toda a assistência para pagamento e financiamento dos modelos, o que facilita muito”, declara uma vendedora da loja Comark, de São Paulo.

Nas concessionárias da marca é possível confirmar aquilo que já dá para notar nas ruas: as vendas de modelos Chrysler e Dodge têm crescido. A principal razão é a queda nos preços de tabela. O modelo de luxo 300C 3.5 V6, por exemplo, está sendo vendido por R$ 134.900. No final de novembro, a Chrysler oferecia o modelo em sua tabela por R$ 144.900. E os vendedores não demoram a afirmar que ele já foi vendido até por R$ 148 mil, antes dos abatimentos começarem.

Mas há um porém. As unidades são todas 08/09, e a variedade de cores se limita ao que existe em estoque. Seis lojas procuradas pela reportagem possuíam o modelo para pronta-entrega, algumas em preto, outras em prata. “Mas não sei por quanto tempo consigo segurar ele aqui, é o último”, afirmou uma vendedora da Caltabiano paulistana.

O mesmo ocorre com o PT Cruiser. Ele já foi morto e ressuscitado diversas vezes este ano pela própria montadora. E a sobrevida parece ter dado um ânimo extra às vendas. Embora também seja modelo 08/09, o carro está sendo vendido por R$ 56.900 na versão Classic e R$ 65.900 na Limited, segundo tabela da Chrysler. Mas é possível negociar, e levar a versão mais em conta por R$ 53.000. “Cubro qualquer oferta, pode vir falar caso alguém ofereça por menos”, disse a vendedora da Divena, em São Paulo. A reportagem se identificou apenas como cliente na hora da cotação.

As grandes modificações ainda não chegaram à estrutura brasileira da Chrysler. Os vendedores disseram que nada mudou desde a compra pela Fiat, e que não há previsão para que isso aconteça. As próprias lojas parecem estar no escuro em relação à matriz. Ao serem perguntados sobre a chegada do sedã Dodge Trazo C – exibido no Salão do Automóvel do ano passado – disseram que o prazo ainda era incerto. Faltou só informarem que o projeto, em parceria com a Nissan, foi abortado pela Fiat no fim de agosto.

Fonte: Auto Esporte