Com alta do dólar, autopeças já comemoram novos contratos

FERNANDO ANTUNES
colaboração para a Folha Online

A alta do valor do dólar frente ao real é motivo de comemoração para a indústria de autopeças brasileira, que até dois meses atrás sofriam com a falta de competitividade de seus produtos no mercado externo. Apesar de a moeda americana ter se valorizado mais fortemente no país nos últimos dias, o setor já registra novos contratos com a desvalorização do real.

O presidente do Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores), Paulo Roberto Rodrigues Butori, explicou que a desvalorização da moeda brasileira tem efeito positivo imediato nas vendas do setor.

“Já ouvi nesta manhã sobre empresas que foram procuradas de ontem para hoje para fechamento de contratos. Há cinco dias o cliente não queria nem saber de fechar esse contrato”, afirmou Butori.

De acordo com o presidente do Sindipeças, o setor tem um déficit comercial de US$ 2 bilhões, que seria recorde para a indústria de autopeças. Ele considera que a alta da moeda americana “pode minorar o tamanho do déficit”, pois a empresas nacionais deixariam de importar os produtos, além de aumentar a competitividade no exterior.

Apesar de o dólar ter atingido nesta terça-feira R$ 2,31, Butori considera que a taxa de equilíbrio do câmbio deverá ficar próximo de R$ 2. Em 1º de agosto deste ano, a moeda americana chegou a ser negociada por R$ 1,559.

“O dólar em alta não é ruim para a indústria brasileira de autopeças. Em R$ 2, a indústria brasileira se torna muito mais competitiva e melhoramos muito a balança comercial”, afirmou o presidente do Sindipeças.

Fonte: Folha Online