Com escassez de crédito, usados empacam


Segmento sofre com redução do IPI; sobe para 57% o financiamento

da Redação

O mercado de usados está praticamente estável, de acordo com os dados da Assovesp (Associação dos Revendedores de Veículos Automotores do Estado de São Paulo), que afere o volume nas revendas independentes. De acordo com nota da entidade, o setor está sofrendo por “dificuldades de crédito”. Na verdade, o segmento também está enfrentando ainda a alíquota mais baixa de IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados), que torna os automóveis zero-quilômetro mais baratos.

Em agosto foram realizados 135.194 negócios, contra 134.621 do mês anterior – aumento médio de apenas 0,43%. Do total, 77,1% foram com automóveis 1.0, que tiveram aumento médio de 2,68% (104.203 unidades, ante 101.484).

No mês passado 57% dos negócios foram financiados, um aumento de seis pontos percentuais em relação ao julho. O prazo de financiamento também subiu, de 41 para 45 meses, em média, de julho para agosto. O saldo médio financiado foi de 68%, contra 63%. As trocas diminuíram de 55% para 49%.

Em média a desvalorização foi de 0,85%, sendo que os que mais caíram de preço foram os 1.0 (1,03%), seguidos pelos importados (0,91%), pelos veículos flex (0,85%) e pelos modelos movidos exclusivamente a álcool (0,78%).

Motos

O mercado de duas rodas amargou uma queda de 2,33%, com 7.131 negócios, contra 7.301 em julho. Em média 58% dos negócios foram financiados, com prazo de 36 meses e 66% do saldo financiado. Trocas ficaram em 23%. Em julho, os números foram: 59% financiados em 32 meses com 65% do saldo financiado e trocas correspondendo a 46% dos negócios. As motos desvalorizaram em média 1,47%.

Fonte: Interpress Motor