Com estoque alto, Pirelli cogita reduções de jornada e salário

Michele Loureiro
Do Diário do Grande ABC

A Pirelli pretende reduzir a jornada de trabalho e o salário de cerca de 1.800 trabalhadores da fábrica de Santo André.

A empresa procurou o Sindicato dos Borracheiros da Grande São Paulo e Região em busca de propostas para tentar ajustar a produção de pneus. Cerca de 3.500 unidades são produzidas diariamente.

“A Pirelli quer reduzir a jornada dos trabalhadores da linha de produção em 20%, e consequentemente, reduzir o salário em 11%. Mesmo sabendo das dificuldades da empresa, o sindicato não é a favor que os trabalhadores arquem com o prejuízo e tenham os salários reduzidos”, enfatizou o vice-presidente do sindicato, Márcio Ferreira.

O sindicalista explicou que a proposta ainda não é definitiva e que a entidade tentará ajudar a Pirelli a encontrar soluções que não prejudiquem o trabalhador. “Porém, demissões e redução de salários estão fora da nossa pauta de discussão”, ressaltou.

Segundo o sindicato, a Pirelli se comprometeu a procurar a entidade para agendar novo encontro e definir medidas para aliviar os estoques. “A empresa não divulga quantos pneus estão estocados, mas é um número grande”, explicou Ferreira. No começo de fevereiro, segundo o sindicato, havia cerca de 200 mil unidades estocadas na fábrica.

A Pirelli produz pneus para caminhões e tratores, mercado que tem registrado queda na demanda em decorrência da crise econômica mundial.

Para tentar adequar a produção, em 19 de fevereiro, a empresa parou completamente a fábrica por 14 dias. “Mesmo assim a Pirelli não conseguiu eliminar a quantidade ideal de pneus e amarga depósitos lotados”, disse o sindicalista. Além disso, em janeiro, 30 funcionários foram demitidos.

A empresa, que tem cerca de 2.000 funcionários, deve se encontrar com o sindicato nos próximos dias para estabelecer os próximos passos. Procurada pela reportagem, a Pirelli informou que não irá se pronunciar sobre o assunto.

FIRESTONE – Também com problemas de estoque elevado, na terça-feira, a Bridgestone Firestone abriu PDV (Programa de Demissão Voluntária). Os trabalhadores que aderirem ganharão, entre outros benefícios, 25% do salário por ano trabalhado – valor que varia conforme o salário do funcionário. O programa será encerrado na terça-feira (24).

Fonte: Diário do Grande ABC