Com preços menores, venda de utilitários esportivos é a que mais cresce no Brasil

SÃO PAULO – A crise financeira e a escassez de crédito impactaram na venda de veículos, que só não tiveram resultados ruins nos primeiros meses deste ano devido à redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados). Porém, para o segmento Utilitários esportivos no Brasil, essa turbulência não foi nem sentida.

Isso porque as vendas desses carros apresentaram uma alta de 21,6% nos quatro primeiros meses do ano, enquanto o mercado de carros e comerciais leves teve um crescimento de apenas 0,5% no período. Com isso, os veículos maiores aumentaram a participação no mercado, de 5% para 6,1%, de acordo com a Agência AutoInforme.

De janeiro a abril, foram comercializados 52.590 unidades, sendo que no mesmo período do ano passado, foram 43.265 utilitários esportivos.

Queda nos preços

Muitos desses carros não entraram no benefício do IPI, que vale apenas para os modelos com motor de até 2,0 l. Mesmo assim, fabricantes reduziram os preços e lançaram versões mais econômicas, atraindo os consumidores. Atualmente, existem 46 opções para os consumidores brasileiros.

Entre os líderes de vendas está o Ecosport, apesar de ter apresentado o menor crescimento do setor, de 1,3%, totalizando 15.665 unidades.

Além da queda nos preços, também contribuiu para o crescimento nas vendas os lançamentos feitos pelas montadoras, como a versão mais barata do Captiva, da GM, e do CRV do México. A Ford, por sua vez, lançou o Edge, e a Dodge trouxe o Journey.

Atualmente, o Utilitário Esportivo é o quinto segmento em participação nas vendas totais, perdendo apenas para os carros de entrada, hatchs e sedãs pequenos e médios. Por outro lado, ganha em volume de vendas dos sedãs grandes, peruas, picapes médias e pequenas, minivans, hatchs médios e furgões.
Fonte: UOL Carros