Como anda o Kia Sorento 2011

Kia Sorento 2011
Novo modelo chega ao mercado em abril completamente renovado

Eric Tingwall//New York Times Syndicate

A Kia ri a toa enquanto a recessão toma conta da Europa, Estados Unidos e Japão. Marcas tradicionais enfrentam queda nas vendas e amargam prejuízos, mas os negócios da marca coreana vão de vento em popa. Não pense que isso de deve apenas à conjuntura econômica. A fabricante está conseguindo aumentar sua carteira de clientes com novos produtos no mercado. E o Sorento 2011 é um deles. Chega em abril no mercado brasileiro e mostra mais uma prova de esforço da marca, assim como aconteceu com Soul e Cerato.

Exceto pelo nome, o Sorento 2011 é completamente novo. A estrutura monobloco substitui a anterior de concepção mais antiga e o sistema de tração integral, oferecido como opcional, entra em ação a qualquer momento, sem precisar que alguém acione qualquer botão. Os motores V6 foram trocados por outros, de quatro e seis cilindros. Além disso, a terceira fila de bancos se mostra prática o suficiente para quem tem crianças pequenas.

Sob chuva, pilotamos a versão V6 com tração dianteira do novo Sorento entre o centro de Atlanta (EUA) e o lado oeste da cidade. Logo de cara notamos que a nova estrutura deu mais solidez ao carro e a suspensão funciona com perfeição, absorvendo as irregularidades do piso sem ser rígida ou maleável demais. Pisando no acelerador, o V6 3.5 de 273 cavalos gira com suavidade e faz o carro acelerar de maneira constante. E o câmbio automático de seis marchas cumpre bem o seu papel, embora tenha hesitado em algumas trocas, em certas situações.

Uma delas constatamos na estrada, quando precisamos de uma redução rápida de sexta para quarta, mas depois de ter pisado fundo no acelerador para provocar uma redução, tudo o que tivemos foi, depois de um tempo mais longo que o ideal, uma abrupta passagem para terceira. Direção, freios e suspensão, contudo, não tiveram problemas, funcionando perfeitamente.

Instrumentos seguem o padrão adotados nos modelos Cerato e Soul

Interior espaçoso e com bancos do centro reguláveisO interior é confortável, bem equipado e com comandos fáceis de serem usados. Na fileira do meio há bom espaço para as pernas e os encostos dos bancos são reguláveis. A qualidade de acabamento está de acordo com a dos concorrentes, mas ainda falta um pouco para a Kia atingir a perfeição quando o assunto é textura e junção depeças. Por exemplo, existe um exagero de plástico onde deveria ter algo mais refinado. Mas nada que incomode muito.

A Kia melhorou bastante a dirigibilidade dos seus carros, mas o design foi uma verdadeira revolução. Com o ex-chefe de departamento de estilo da Audi, Peter Schreyer, os modelos da marca coreana se transformaram, tornando-se bem mais atraentes e com identidade própria, sem ter que se inspirar em ícones do mercado. O Sorento faz parte dessa nova família. Tem desenho arrojado e muito mais interessante do que o da geração anterior. Tudo isso mostra que o carro é competitivo não apenas pelo preço atraente (um pouco acima de R$ 100 mil na versão de entrada).

Fonte: Auto Esporte