Compra de ações da Chrysler pela Fiat esbarra no valor pedido por sindicalistas

Sindicato quer mais do que o dobro do valor de mercado pelas ações; Italiana quer fazer acordo

O aumento de participação da Fiat na Chrysler está esbarrando em problemas financeiros. Isso porque o Fundo Voluntário de Pensões Veba do Sindicato dos Trabalhadores Automotivos UAW, detentor de 3,3% da gigante de Detroit, elevou o preço das ações. O grupo pede mais que o dobro do oferecido pelos italianos para negociar os ativos.

De acordo com a imprensa norte-americana, a Fiat ofereceu US$ 139,7 milhões R$ 287,5 milhões pelos papéis, a fim de manter seu plano de expansão de propriedade, comprando 3,3% da aliada estadunidense a cada seis meses. No entanto, o Veba pede US$ 342 milhões R$ 703,8 milhões, bem acima do valor de mercado das ações. A discussão tem intermédio da Justiça dos Estados Unidos e não tem data para terminar, ainda que a gigante de Turim tenha como objetivo fechar o negócio até o final do ano.

Texto: Matheus Q. Pera

>