Contra crise, governo português promete usar todos os recursos na economia

da Lusa, em Lisboa

O primeiro-ministro português, José Sócrates, garantiu nesta quinta-feira que o governo usará todos os recursos ao seu alcance para auxiliar empresas, trabalhadores e famílias em 2009 –ano “difícil e exigente”–, numa mensagem de Natal dedicada à crise internacional.

Desta vez, Sócrates optou por se apresentar de pé aos portugueses, rompendo uma tradição em que o chefe de governo surgia sentado.

Numa das várias referências que fez à atual conjuntura internacional financeira, o primeiro-ministro destacou que o ano de 2009 vai ser “difícil e exigente para todos”, razão pela qual o dever do seu governo é “não ficar à espera que os problemas se resolvam por si próprios”.

“Pela minha parte, e pela parte do governo, quero garantir que não temos outra orientação que não seja defender o interesse nacional neste momento particularmente difícil. E defender o interesse nacional é usar todos os recursos ao nosso alcance, com rigor, sentido de responsabilidade e iniciativa, para ajudar as famílias, os trabalhadores e as empresas a superarem as dificuldades, e para incentivar o investimento econômico que gera riqueza e emprego”, disse.

No discurso, Sócrates afirmou que os efeitos da crise já atingiram Portugal, porém o país colocou as contas públicas em ordem nos últimos três anos.

“Isso nos permite agora responder melhor às dificuldades econômicas que nos chegam de fora. Podemos agora usar mais recursos do Estado para apoiar o emprego, as empresas e as famílias”, sustentou.

Neste contexto, Sócrates frisou que “os portugueses podem contar com a determinação do governo” no presente “momento difícil da Europa e do mundo”.

Fonte: Folha online