Crédito para financiamento cresce 14% em maio

Valor total disponível chega a R$ 166,6 bilhões. Taxa média de juros fecha em 1,43% ao mês

O mercado de crédito para a aquisição de veículos em maio vem seguindo a tendência dos meses anteriores e fechou com crescimento, segundo levantamento da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras). As carteiras de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) e Leasing para pessoas físicas chegaram a R$ 166,6 bilhões, valor 14% superior ao registrado no mesmo período de 2009. Desse total, R$ 108,3 bilhões correspondem ao CDC, que teve um incremento de 32,4% em doze meses (R$ 81,8 bilhões) e R$ 58,3 bilhões equivalem à carteira de Leasing, que apresentou uma retração de 9,5% em doze meses (R$ 64,4 bilhões).

A taxa média de juros praticada pelas associadas à Anef fechou maio em 1,43% ao mês (18,58% ao ano). Se comparada ao mesmo período do ano passado apresentou queda, pois a taxa estava em 1,55% ao mês (20,27% ao ano). Já em relação a abril de 2010 apresentou elevação, pois a taxa estava em 1,40% ao mês (18,16% ao ano). “O crescimento da taxa de juros no mês de maio já reflete o aumento da Selic anunciado em meados de maio. No entanto, o mercado continua com o seu desempenho positivo, pois há a confiança do consumidor no cenário macroeconômico brasileiro”, afirma Décio Carbonari de Almeida, presidente da Anef.

Sobre os planos médios de financiamento, em maio, ficaram em 42 meses ante 40 meses de maio de 2009. Em relação ao mês de abril, houve recuo, já que a média estava em 43 meses. Já a taxa de inadimplência acima de 90 dias para as operações de CDC mantém a tendência de queda e atingiu em maio o índice de 3,8% contra 5,3% de igual período de 2009.

O estudo da Anef também mostra a perspectiva para o ano de 2010. O objetivo é obter uma elevação entre 10% e 15% em relação ao saldo das carteiras de CDC e Leasing em 2009, atingindo, até o final de 2010, valor entre R$ 173 bilhões e R$ 180 bilhões. “O mercado vem se comportando dentro de uma tendência de crescimento, acompanhando a demanda da indústria automobilística. Dentro deste contexto, o nosso segmento contribui com o escoamento das vendas financiadas de automóveis, oferecendo crédito e condições para o consumidor”, complementa o presidente da Anef.
Fonte: Auto Esporte