Crise faz usado despencar em média 2,14%

Muitos consumidores deixaram de trocar usado pelo novo; quedas chegam a 20%

da Redação

Os preços dos carros usados despencaram nos últimos dois meses, em razão da crise econômica. De acordo com pesquisa realizada pela agência AutoInforme em parceria com a Molicar, muita gente deixou de trocar o usado pelo novo, desaquecendo ainda mais o segmento. O estudo feito com base em 11 mil anos-modelos fabricados de 1999 a 2008 mostra uma queda de preços de 2,14%, a maior desde que os estudos foram iniciados, em 2000.

Há casos de quedas mais expressivas, de até 20% em apenas um mês. Foi o caso do Mercedes Benz SLK 230 Kompressor, ano 2003, que era cotado por R$ 150 mil em outubro e teve o preço reduzido para R$ 120 mil. O Fiat Marea Turbo 2.0, ano 1999, ficou 19,6% mais barato, com seu preço caindo de R$ 20,4 mil para R$ 16,4 mil.

O preço do utilitário esportivo Hyundai Tucson 2.7 GLS 4×4, ano 2007, caiu de R$ 81.880 para R$ 68 mil, uma redução de 16,9%. O Toyota Corolla XLI 1.8, ano 2001, ficou 16,2% mais barato. Cotado por R$ 23.880 no final de outubro, foi encontrado por R$ 20 mil em novembro.

A pesquisa detectou queda de mais de 10% em mais de 200 modelos. Mesmo carros que são muito procurados, como Volkswagen Gol, Fiat Palio e Chevrolet Corsa ficaram mais baratos. A queda foi generalizada. Os carros usados de 2003 foram os que mais caíram de preço no mês. A variação por ano de fabricação oscilou entre 1,79% (2008) a 2,46% (2003). Os preços dos usados vêm caindo desde 2006. O aumento expressivo na venda de carros novos dos últimos anos aumentou a oferta no setor de usados e, assim , o preço caiu.

A pesquisa registrou também uma leve alta, de 0,36%, no preço do usado durante todo o ano de 2005. Em 2006 a queda foi brusca, de 7,2%. No ano passado também foi alta, de 5,3%. Neste ano a queda de preço vinha sendo bem mais branda, por conta da grande demanda no setor por causa do aumento do poder aquisitivo da classe média e das facilidades de financiamento. Tanto que, mesmo considerando a queda de 2,14% registrada em novembro, o usado perdeu apenas 2,3% nos 11 meses do ano.

Essa queda de preços em novembro, no entanto, dificilmente será revertida. A tendência é que haja novas desvalorizações nos próximos meses, mesmo que o mercado de novos se recupere. Isso porque há temor entre os comerciantes de investir no estoque, por causa da instabilidade internacional. As concessionárias só aceitam o usado como parte de pagamento se o preço for bem abaixo das cotações do mercado – caso contrário, não conseguem girar o estoque.

Fonte: Interpress Motor