Desemprego sobe e atinge maior nível desde abril de 2008

Taxa alcança 8,2% em janeiro, informa IBGE; número de desocupados sobe 20,6% ante dezembro e soma 1,9 mi.

Agência Estado – 20/2/2009 – 10h08

SÃO PAULO – A taxa de desemprego no País subiu para 8,2% em janeiro, informou nesta sexta-feira, 20, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nas seis principais regiões metropolitanas. O resultado veio dentro das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (7,5% a 8,6%), com mediana de 7,80%. Em janeiro de 2008, a taxa havia sido de 8,0%. O rendimento médio real dos trabalhadores ficou em R$ 1.318,70 em janeiro, com variação de 2,2% ante dezembro e de 5,9% na comparação com janeiro de 2008.

O número de desocupados somou 1,89 milhão, com aumento de 20,6% ante dezembro e alta de 4,6% ante janeiro do ano passado. O número de vagas com carteira caiu 1,3% ante o mês anterior, mas teve aumento de 4,5% ante janeiro. Já o número de empregados sem carteira caiu ante dezembro (-4,5%) e ante janeiro do ano passado (-3,2%). O número de ocupados nas seis principais regiões metropolitanas do Pais ficou em 21,15 milhões em janeiro, com queda de 1,6% ante dezembro e aumento de 1,9% ante janeiro de 2008.

Após dez anos com contratações no primeiro mês do ano, janeiro de 2009 registrou fechamento de 101.748 vagas de trabalho, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados na última quinta. Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o saldo do Caged é negativo, mas não segue “para a catástrofe anunciada”. Ainda de acordo com os dados do emprego, São Paulo, Rio e Minas foram os Estados que mais fecharam vagas no mês passado.

As regiões Sudeste, Nordeste e Norte apresentaram redução no nível de emprego. No sudeste, o total de vagas fechadas foi de 85.739; no Nordeste, de 24.323; e no Norte, apesar do crescimento em Rondônia, foi de 9.569. No Sul e Centro-Oeste, houve aumento do total de vagas. No Sul, foram criados 10.797 postos de trabalho; e, no Centro-Oeste, 7.086.

Fonte: Diário do Comércio