Dirigente da Fiat surpreso com situação da Chrysler


O CEO da Fiat, Sergio Marchionne, declarou estar surpreso com a situação encontrada na Chrysler após os primeiros meses de intervenção na empresa americana. Segundo ele, nos dois anos que antecederam a entrada da Fiat no controle, houve pouquíssima ação interna para dinamizar suas atividades.
O executivo italiano disse estar preparando um relatório para novembro em que proporá a estratégia da Chrysler para os próximos cinco anos.

Segundo analistas, a Chrysler carece de produtos realmente novos, que possam conquistar os consumidores americanos por sua inovação. Os últimos lançamentos da empresa foram o Dodge Challenger, um muscle car com apelo saudosista e, na verdade, apenas uma versão esportiva do sedã Charger e a picape Ram.

Nada de novo no horizonte – O próximo produto anunciado será uma nova versão do Jeep Grand Cherokee, prevista para meados do ano que vem.

Há quem espere uma ação radical por parte da Fiat, substituindo praticamente toda a gama de produtos da Chrysler por projetos próprios, mesmo que as marcas americanas sejam preservadas. Entre os novos carros estaria um sedã de porte médio da Alfa Romeo e o pequeno Fiat 500.

Em meio à crise que abalou a economia americana, a Fiat assumiu 20% do controle acionário da Chrysler sem colocar dinheiro no negócio. A moeda de troca foi o fornecimento de tecnologia para desenvolver em conjunto novos carros, na maioria médios ou pequenos. Apesar de ter a opção de aumentar sua participação, segundo Marchionne isto não está nos planos do grupo italiano.

JM

Fonte: Auto Estrada