Dúvida sobre IPI segura produção nas montadoras

A indústria automobilística prefere pagar o preço da falta de carros novos no mercado e segurar o ritmo de crescimento a ter de retomar a produção e ser obrigada a fazer novos cortes em abril. O setor teme voltar a operar na velocidade anterior a crise e ser surpreendido pela queda de demanda, que virá caso o governo não estenda o prazo de IPI reduzido. A análise é de Marli Olmos, no jornal Valor.

Segundo a jornalista, empresas que cortaram turnos não se arriscam agora a reativá-los. É o caso da Honda, que em janeiro passou a operar em dois turnos e deixou os cerca de 500 empregados da terceira turma fora da linha de montagem, em atividades de treinamento e reciclagem.

Diz Marli Olmos que o ritmo das vendas melhora a cada dia. Os concessionários sentem falta de alguns modelos, principalmente os mais caros. Segundo executivos do setor, com a queda de IPI mais forte nos populares, as montadoras se voltaram para a produção desse tipo de veículo, o que levou à falta das versões não populares.

Fonte: Automotive Business