Envelopamento de carros ganha as ruas


Que tal mudar a cor do carro sem uma gota de tinta? Adesivos incrementam o visual a partir de R$ 56

Por Ricardo Sant´Anna // Fotos de André Jackson

Branco fosco e cores chamativas são a nova tendência entre os envelopados
Película que imita fibra de carbono é muito usada no teto.
Você já viu um i30 branco rodando por aí? Difícil, pois a Hyundai traz o hatch ao Brasil apenas nas cores prata, preta e raríssimas unidades em azul. Mas isso pode mudar com o uso de películas adesivas. “Tudo começou com a moda do preto fosco, mas a tendência agora é o branco fosco”, conta Daniel Lopes, da loja paulistana H3 Customs.

Encapar um carro parte de R$ 1.800 no caso de um hatch como o i30. “Há películas mais baratas, mas de baixa qualidade. O ideal são os materiais importados, que suportam chuva e outros efeitos climáticos”, conta Lopes. A película passa três anos sem desbotar, embora exija cuidados. Um esbarrão com chave ou calça jeans pode ocasionar uma manutenção precoce. “Tem que tomar cuidado, como se fosse uma carroceria normal.”

As opções de cores e acabamentos são infinitas, podendo elevar o preço do trabalho às alturas. “Existem películas que imitam cromado, aço escovado e até mármore, mas ainda não peguei nenhum trabalho desse tipo”, explica o customizador. Para deixar o carro com acabamento semelhante à tinta cromada, são necessários R$ 5 mil. Também há quem use a fita para cobrir peças de carros antigos, como os para-choques. Já no teto é muito usada a película que imita fibra de carbono.

Após a cobertura adesiva, é preciso alterar o documento (caso a cor escolhida seja diferente do tom da pintura original) e não se pode lavar o carro por três dias. Mas a grande vantagem em relação à tinta é que gasta-se menos e, se enjoar, é só voltar ao normal, com a pintura original intacta.

(1) – A carroceria deve estar limpa e alguns detalhes, como a seta, são retirados antes de aplicação da película. (2) – Dois instaladores colam o adesivo recortado na medida da peça. Espátulas fazem a primeira fixação. (3) – Retirada de bolhas é demorada, e conta com ajuda de aquecedores profissionais e boa dose de atenção. (4) – Saem as últimas bolhas e, com muita precisão e um estilete, instalador remove as rebarbas

Concessionárias Fiat dispõem de adesivos com imã para que consumidor teste as opções na carroceria do UnoDireto da concessionária
A onda dos adesivos anda tão em alta que você já pode sair da loja com seu carro 0 km personalizado. A Fiat entrou nessa desde que lançou o novo Uno, com cinco kits. Segundo Renata Pirangeli, vendedora de acessórios da concessionária Paulitália, de São Paulo, até 40% dos Unos saem com ao menos um adesivo. O preço varia de R$ 56 para um autocolante pequeno até R$ 1.900 o pacote completo. “O público é mesclado entre homens e mulheres, na faixa de 18 aos 35 anos”, conta ela.

Os campões de venda são os temas Tribal, “para os jovens surfistas”, e o Arabesco, entre o público feminino. Uma boa tática da marca foi a instalação de displays nas lojas, onde o consumidor testa os adesivos no carro por meio de ímãs. A Kia também oferece a personalização em algumas concessionárias, como a Acta, de Osasco (SP). Para Soul e Picanto, faixas duplas são as mais pedidas, por R$ 350. Cerato e Sportage podem ganhar o teto na cor preta ou semelhante à fibra de carbono, por cerca de R$ 500. Bandeiras de países no teto também são pedidas, como as utilizadas no Mini Cooper, outro modelo com boas opções de adesivos.

Fonte: Auto Esporte