Especial Salão do Automóvel: Quarta parte

Hyundai Sonata
Confira alguns detalhes dos automóveis que marcarão presença na 26ª edição da mostra paulista

César Tizo

Esqueça tudo o que você conhece sobre o Hyundai Sonata. A nova geração, que já está à venda no Brasil, segue o estilo ousado aplicado ao i30 para conquistar donos de Civic, Corolla e Fusion. O modelo, que também é oferecido como i40 em alguns mercados, tem 4,82 m de comprimento, 1,83 m de largura e 1,47 m de altura — o entre-eixos de 2,79 m indica bom espaço interno. A Hyundai reservou para o Brasil o motor 2.4 de 201 cv de potência e 25,5 mkgf de torque a 4 250 rpm, que trabalha em conjunto com uma transmissão automática de 6 marchas. A marca não divulga uma tabela de preços do modelo, mas é possível apurar valores entre R$ 80 000 e R$ 85 000, em rápida pesquisa nas concessionárias da Grande São Paulo.

Hyundai Equus

É com o Equus que a Hyundai quer atuar no “olimpo automotivo”. Seu sedã top de linha foi concebido com a pretensiosa missão de cativar os tradicionais clientes de automóveis como o Mercedes-Benz Classe S, BMW Série 7 e Lexus LS460. Para tanto, investe no requinte, em itens como sistema multimídia de entretenimento, áudio com Surround, navegação em alta definição, suspensão a ar controlada eletronicamente, entre outros de uma vasta lista. O Equus, nos EUA, conta com as versões Signature e Ultimate, impulsionadas por um 4.6 V8 de 385 cv de potência.

Hyundai Genesis

No exigente mercado norte-americano o Genesis conseguiu façanha que trouxe muita promoção durante seu lançamento: foi eleito o carro do ano em 2009, desbancando as tradicionais GM, Ford e Chrysler. Briga com modelos acima dos rivais do Azera e, para isso, dispõe de versões V6 (262 cv e 294 cv) e V8 (380 cv). Para mostrar que ele não brinca em serviço, tem 4,97 m de comprimento e 2,93 m de entre-eixos.

Audi A1

A Audi quer compensar a ausência no último Salão do Automóvel de São Paulo, em 2008, com a apresentação de sua maior novidade mundial na mostra de 2010. Trata-se do pequeno e sofisticado A1, que chegou à Europa neste ano e em breve desembarcará no Brasil. Apesar de pequeno, ele não será barato: os preços devem partir de R$ 90 000 e podem ultrapassar R$ 100 000 em versão mais luxuosa. Tudo indica que ele virá com o motor 1.4 TFSI de 122 cv.

JAC J3

A JAC promete atuação mais impactante que a de outras marcas chinesas no Brasil. Capitaneada por Sérgio Habib, ex-presidente da Citroën no país, a fabricante aposta no J3 como carro-chefe. Equipado com motor 1.4 16V de 108 cv de potência a 6 000 rpm e 14,1 mkgf de torque a 4 500 rpm, o J3, de acordo com Habib, está em patamar de qualidade superior ao dos outros modelos chineses conhecidos pelos brasileiros. A lista de itens de série é extensa: direção hidráulica, ar-condicionado, CD player com entrada USB, volante com regulagem de altura, airbag duplo, freios com ABS e sensores de estacionamento. A marca começará a atuar no mercado nacional em um prazo de cinco meses e cobrará a partir de R$ 38 000 pela versão mais simples do J3.

Audi R8 Spyder

O Audi R8 é um carro que chama atenção mesmo em sua versão mais “simples”, equipada com motor V8. Imagine, então, uma opção conversível com propulsor V10 de 525 cv. Basta visitar o espaço da Audi no Salão para encontrar lá o reluzente exemplar do R8 Spyder, que, assim como o RS5, fará sua primeira aparição no Brasil. O bloco de 10 cilindros é capaz de levar a versão com teto de tecido de 0 a 100 km/h em 4s1 e de 0 a 200 km/h em 12s7. A velocidade máxima também impressiona: 313 km/h. O preço ainda não foi divulgado, mas será superior aos R$ 696 500 cobrados pelo R8 com capota fixa.

Bugatti Veyron Grand Sport

Você provavelmente já viu muitas supermáquinas no Salão de São Paulo, mas ainda não teve o prazer de encontrar um carro do calibre do Veyron no Anhembi. Equipado com motor 8.0 W16 com 4 turbos, ele desenvolve 1 001 cv de potência e 127,1 mkgf de torque. A versão targa Grand Sport, porém, tem um “problema”: sem a capota, a velocidade máxima é limit
Fonte: Carro Online