Estoque de veículos está abaixo do nível ideal


Wagner Oliveira
Do Diário do Grande ABC

A produção de 316 mil veículos em outubro, recorde neste ano, ajudou a recompor estoques das montadoras e concessionárias. A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) considera, no entanto, que o nível ainda não é ideal e deve fechar o ano abaixo do recomendado.

Tradicionalmente, novembro e dezembro registram boas vendas em razão do maior volume de dinheiro na economia com o pagamento do 13º salário. Por isso, a indústria costuma reforçar o estoque para garantir o abastecimento num período em que a produção perde força com as férias coletivas, que também são aproveitadas para ajustes na linha de produção.

No início deste mês, a indústria automobilística tinha 215.819 unidades estocadas. Deste total, 174.783 veículos estavam no pátio das concessionárias e 41.036 com as montadoras. No atual ritmo de vendas, o estoque é suficiente para 22 dias.

Jackson Schneider, presidente da Anfavea, considera seguro um nível de estoque que garanta vendas para 30 dias no atual ritmo da indústria automobilística, que até o final de outubro vinha comercializando cerca de 14 mil veículos por dia. Para ele, não há risco de faltar carro.

Em setembro, os estoques estavam em nível ainda mais baixo. As 171.601 unidades – 31.532 no pátio das montadoras e 140.069 nas concessionárias – só garantiam vendas para um período de, no máximo, 17 dias.

A produção em outubro cresceu 15,7% sobre setembro. Também foi 6,3% maior que a do mesmo mês de 2008. Em novembro, porém, a produção pode ficar menor que outubro, que teve 23 dias úteis de trabalho. Feriados reduzem para 21 dias úteis o período de trabalho neste mês.

No ano, a previsão da Anfavea é que a produção fique 5,2% menor em relação a 2008, quando foram fabricadas 3,216 milhões de unidades. A queda ocorre em razão de perda de 40% nas exportações para países que são tradicionais compradores do Brasil, como Argentina e México.

DÉFICIT – Pela primeira vez em 11 anos, o Brasil terá déficit na balança comercial, já que o País deverá fechar o ano com 440 mil veículos exportados e cerca de 500 mil importados.

A robustez do mercado brasileiro, que deverá fechar o ano com 3 milhões de unidades e crescimento de 6,4% sobre 2008, atraiu mais veículos importados, principalmente no segmento de luxo.

Fonte: Diário do Grande ABC