Europa pessimista para vendas em 2010


A indústria automotiva europeia deve enfrentar mais dificuldade para manter as vendas este ano do que em 2009, segundo análise de Paul McVeigh para o Automotive News Europe.

A informação vem de executivos e analistas do setor na região, que apontam para uma redução em um milhão de carros vendidos na Europa Ocidental, ante o ano passado. O efeito é consequência da retirada dos estímulos dos governos, que estimulou a antecipação da compra de carros de 2010 para 2009.

A agência de crédito Moody alerta que o desafio dos fabricantes da região como Volkswagen, PSA Peugeot-Citroën, Renault e Fiat, é maior do que em outros mercados. A companhia espera retração de 5% nas vendas de carros na França, Itália e Reino Unido em 2010. Na Alemanha o tombo deve ser maior, com desaceleração de 25% nas vendas.

Sergio Marchionne, CEO da Fiat, também aposta em um ritmo mais lento e prevê retração para 12 milhões de carros comercializados na Europa Ocidental, ante os 13,5 milhões vendidos em 2009. O Goldman Sachs projeta 12,1 de veículos comercializados e a estimativa da J.D. Power é de 12,12 milhões.

O CEO da Ford Europa, John Fleming afirma que deve haver uma recuperação entre 2010 e 2011, mas a redução dos incentivos para a compra de automóveis torna mais difícil fazer uma estimativa precisa da demanda.

Já o CEO da Opel, Nick Reilly, antecipa que será necessário muito tempo para que as vendas da região atinjam os 16 milhões de automóveis anuais de antes da crise financeira. Pessimista, o CEO da Lamborghini, Stephan Winkelmann, faz um alerta: “Tudo o que você vê foi bem pior do que o previsto.

Fontes: Automotive News Europe e Automotive Business.

Fonte: Automotive Business