Exportações de veículos acumulam queda superior a 40%

Dificuldades no mercado argentino puxaram resultado para baixo

GIOVANNA RIATO, AB

As exportações de veículos sofreram um considerável tombo ao longo de 2014. A queda foi de 40,6% de janeiro a novembro, para apenas 310,7 mil unidades, segundo dados da Anfavea, associação que representa os fabricantes do setor. Em novembro foram vendidos no exterior 25,9 mil carros brasileiros, com crescimento de 10,5% sobre outubro, mas queda de 42,6% na comparação com o mesmo mês de 2013. Em valor a queda da indústria brasileira no exterior foi um pouco menor. O Brasil faturou US$ 10,77 bilhões com vendas de veículos a outros países até agora em 2014, com retração de 29,9%. 

O resultado dos 11 meses do ano mostram que a Anfavea está bem distante de cumprir a meta estabelecida para 2017: entregar em outros mercados 1 milhão de carros nacionais por ano. O plano foi anunciado por Luiz Moan ao tomar posse da presidência da entidade, em abril de 2013. O projeto, batizado de Exportar-Auto, foi entregue ao governo federal. O objetivo era combinar medidas da indústria com incentivos às exportações oferecidos pelo País.

Moan aponta que o resultado baixo reflete os problemas no mercado argentino, principal cliente do Brasil no segmento. A intenção do dirigente da entidade é reduzir a dependência da demanda do país vizinho a partir de agora. Neste contexto o Exportar-Auto pode oferecer um caminho importante, apesar de dificilmente levar ao almejado marco de 1 milhão de carros por ano. “Nós continuamos negociando ações com o governo. A ideia é ter facilitação do comércio internacional. Em janeiro temos reunião com o México, também vamos nos encontrar novamente ainda este mês com representantes da Colômbia para oferecer uma proposta de acordo comercial”, detalha o executivo.

Se concretizados, as novas parcerias podem reduzir o abismo em que entraram as exportações brasileiras, mas isso só deve acontecer a partir do próximo ano. Enquanto isso, 2014 deverá terminar com resultado bastante inferior ao estimado pela Anfavea. As projeções divulgadas pela entidade ao longo do ano eram de que as vendas internacionais chegassem a 401 mil unidades, com redução de 29,1% na comparação com 2013.

Fonte: Automotive Business