Exportações de veículos despencaram em 2014

Crise na Argentina contribuiu com resultado 40,9% menor

GIOVANNA RIATO, AB

A
instabilidade no mercado argentino em 2014 fez as
exportações de veículos

brasileiros retrocederem ao menor nível em 12 anos. Foram vendidos externamente
334,5 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus no ano passado, com
expressiva queda de 40,9% na comparação com 2013. O mês de dezembro mostrou que
o rombo continua a se aprofundar, com retração de 8,7% sobre novembro e de
40,9% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os dados foram divulgados pela
Anfavea, associação que representa as montadoras.



Em valor, a exportação de veículos gerou faturamento de US$ 11,51 bilhões em
2014, montante que fica 30,4% abaixo do anotado em 2013. Em dezembro a
indústria local obteve receita de US$ 747 milhões com as vendas externas, com
retração de 18,4% na comparação mensal e de 37,6% na anual. Segundo a Anfavea,
a diferença entre as exportações em volume e em valor é causada pela venda fora
do País de peças e componentes para veículos brasileiros que já circulam no
exterior. Estes negócios inflam as receitas geradas com vendas internacionais.



A entidade aponta a crise no mercado argentino como a principal responsável
pelo tombo de 2014. O país vizinho é o principal cliente das montadoras
instaladas no Brasil. O impacto da queda nas vendas para lá evidencia que as
empresas que produzem nacionalmente precisam buscar novos parceiros de
negócios. Luiz Moan, presidente da associação dos fabricantes de veículos,
garante que a organização já trabalha nessa área. “Brinco que me tornei
caixeiro viajante para buscar estabelecer novos acordos comerciais”, aponta.



Segundo ele, esta é uma das metas para 2015, ano em que a entidade projeta
modesto crescimento de 1% nas exportações, para 337,9 mil veículos. Moan
garante que, além de fortalecer as relações com Argentina e demais países do
Mercosul, além de México e Colômbia, a ideia é se aproximar dos países da
África e da Europa. “Em outubro do ano passad
Fonte: Automotive Business