Fábrica chinesa estatizada enfrenta dificuldades


A Brillance, uma das marcas chinesas mais destacadas até pouco tempo, está perdendo terreno rapidamente no mercado local e, apesar de controlada pelo governo, parece não contar mais com apoio oficial. A informação foi veiculada pelo site especializado Automotive News China. A Brillance despontou no mercado automobilístico no final da década de 1990, quando começou a produzir automóveis ao mesmo tempo que várias outras marcas chinesas, como a Chery e a Geely. Na época, parecia levar vantagem pelo conhecimento acumulado na fabricação de vans, microônibus e caminhões leves por vários anos.
Os problemas da Brillance teriam começado em 2002, quando seu fundador, Yang Rong, foi afastado da direção da empresa pelo governo da província de Liaoning, que assumiu o controle do grupo. Acusado de crimes econômicos, Rong fugiu do país e, sob comando estatal, a fabricante parece ter perdido seu dinamismo inicial.

Após frustradas e desmoralizantes tentativas de entrar no mercado europeu – seus carros fracassaram nos testes de segurança – as vendas da Brillance começaram a desabar, enquanto os concorrentes cresciam.

O lançamento de uma nova linha de automóveis e um SUV ajudou um pouco mas, mesmo assim, a Brillance tem ficado atrás dos concorrentes e, desde 2006, não deixou de acumular prejuízos.

Além da Brillance, outras sete produtoras de veículos controladas pelo governo estão em má situação: a China FAW, Dongfeng, Shanghai, Changan, Beijing Automotive Industry, Guangzhou Automobile e Chery. As sete vão entrar num programa de recuperação forçado, mas a Brillance foi deixada de fora.

Para alguns analistas, a saída poderá ser a privatização da companhia, que tem acordo com a alemã BMW para produzir carros da marca na China. Outro caminho pode ser a redução da linha e do volume de produção, focando a Brillance no mercado local.

JM

Fonte: Auto Estrada