Fenabrave aguarda recursos federais para retomar vendas

São Paulo, 6 de Novembro de 2008 – O presidente da Federação Nacional dos Distribuidores de Veículos (Fenabrave), Sérgio Reze, afirmou que os recursos prometidos pelo governo federal para irrigar o crédito ainda não chegaram. Para Reze, as vendas de veículos tendem a declinar em novembro, assim como ocorreu em outubro. “O governo tem de agir rápido para evitar o agravamento do quadro”, afirmou.

Os resultados de emplacamentos de outubro apresentados ontem pela Fenabrave apresentaram queda em diversos segmentos. As vendas de automóveis e comerciais leves em outubro caíram 11,55% em relação a setembro e 3,36% em relação a outubro de 2007. O pior resultado foi o de motos: as vendas declinaram 18,58% em outubro se comparado com setembro, e 5,70% em relação ao mesmo mês de 2007.

“Houve uma queda significativa, mas acabou sendo o desastre que se esperava”, afirmou Reze. Para ele, “novembro será um mês difícil”, mas não arriscou a fazer prognósticos. Para o fechamento deste ano, a Fenabrave mantém a previsão de crescimento de até 19%. No acumulado até outubro, as vendas de veículos cresceram 23%.

O presidente da Fenabrave afirmou que os compradores estão visitando as concessionárias para comprar, mas as vendas esbarram na dificuldade do crédito. “Os bancos estão só querendo comer o filé”, afirmou em relação a aprovação do crédito pessoal. “Não é problema de cadastro, é de dinheiro”, acredita.

Reze afirmou que os revendedores aguardam ansiosos pela liberação do crédito prometido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fortalecer os bancos das montadoras. Com isso, as vendas poderiam parar de cair e voltar a tomar um impulso. “Por enquanto, o setor está evitando demissões, mas não tem muito fôlego”, acredita.

Espírito de libertação

O presidente da Fenabrave afirmou que a eleição de Barack Obama para a Presidência dos Estados Unidos resgatará “um espírito de libertação para o mundo.” Para ele, o mundo poderá retomar a confiança nas instituições, que foram abaladas com a crise financeira mundial. Após 40 dias de a crise ter mostrado sua face mais crítica, Reze afirmou que os agentes econômicos precisam enfrentar e contornar o problema para a reação dos mercados.

Em outubro, a Fiat manteve a liderança na venda de comerciais leves e carros, com 24,75% do mercado. Segundo o levantamento da Fenabrave, feito com base nos emplacamentos, a Volkswagen aparece em segundo lugar, com 21,87%. A General Motors, com 21,10% vem a seguir, seguida da Ford (9,55%), Renault (4,35%), Honda (4,15%), Peugeot (3,11%), Toyota (2,80%), e Citroën (2,56%).

(Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 1)(Wagner Oliveira)

Fonte: Gazeta Mercantil