Férias reduzem produção de caminhões

São Paulo, 6 de Novembro de 2008 – As montadoras de caminhões também estão programando férias coletivas para adequar a produção à demanda do mercado. A Scania informou ontem que vai parar 30 dias a produção na fábrica de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, de 15 de dezembro a 18 de janeiro. Somando a parada de 10 dias já realizada em julho, o total de férias coletivas concedida pela empresa aos seus empregados neste ano será de 40 dias, 10 dias além do previsto.

Segundo a Scania, a quantidade maior de folga concedida aos empregados neste ano é para diminuir a produção de caminhões em função da baixa demanda no mercado global.

Com a forte queda nas vendas de caminhões na Europa, a fábrica brasileira, que exporta 50% da sua produção para os países fora da América Latina, vai deixar de enviar caminhões para o mercado europeu, África, Ásia e Oriente Médio, informou a assessoria de imprensa da Scania. Esses mercados passarão ser abastecidos pelas fábricas da Scania na Europa. A estratégia da Scania, segundo a assessoria de imprensa da empresa, é distribuir a produção nas suas quatro fábricas européias para evitar ociosidade nestas unidades.

A Scania informou que, com a retração da demanda, a empresa conseguiu normalizar a fila de espera na Europa. No Brasil o prazo de entrega do caminhão 6×4 e 8×4, modelos mais caros que são destinados para o mercado de mineração e de construção civil, que era de 180 dias, caiu para 90 dias. Já o modelo 4×2, que no p´rimeiro semestre o tempo de entrega era de 90 dias (o período normal é de 45 dias) já reduziu para 60 dias.

A Scania destacou que a redução na fila de espera no Brasil deve-se ao bom desempenho dos seus negócios mercado de caminhões, onde registrou crescimento de 22% de janeiro a outubro em relação ao mesmo período de 2007. Em outubro a montadora teve seu primeiro recorde histórico mensal, com a venda de 1.083 caminhões pesados, volume 35% maior que outubro de 2007 e 54% acima de setembro deste ano.

Ford antecipa férias

Por causa da desaceleração nas vendas de veículos no mercado brasileiro, a Ford dediciu antecipara as férias coletivas dos empregados da fábrica de caminhões, em São Bernardo do Campo. Em vez de parar a produção na semana do Natal e Ano Novo, a empresa programou as férias coletivas para o período de 15 de dezembro a 2 de janeiro de 2009. A empresa também cancelou a produção aos sábados até o final deste ano, informou a empresa em comunicado.

Em função da necessidade de ajustar a produção à demanda, a Ford também adiou a implantação do segundo turno na fábrica de caminhões, prevista inicialmente para janeiro de 2009. Segundo a montadora, “a data será definida de acordo com a evolução do mercado”.

Além da fábrica de caminhões, a Ford também vai conceder férias coletivas para as unidade de automóveis de Camaçari (BA) e de motores e transmissões de Taubaté, no interior de São Paulo.

No complexo industrial da Camaçari a parada na produção será de 10 de dezembro a 2 de janeiro para os trabalhadores noturno. Os turnos da manhã e tarde param a partir do dia 11 de dezembro. A previsão anterior era de conceder férias coletivas a partir do dia 24 de dezembro.

Na fábrica de Taubaté somente os empregados da linha de transmissões terão as férias coletivas ampliadas. Será de 15 de dezembro a 2 de janeiro de 2008. A previsão anterior da empresa era de parar a produção a partir de 22 de dezembro.

A Ford destaca em seu comunicado, que mesmo com a retração das vendas do mercado brasileiro, a empresa mantém sua previsão de investimentos já anunciados até 2012 para a América do Sul.

A fábrica de Camaçari tem capacidade para produzir 250 mil automóveis por ano, dos quais 80,2 mil são destinados para o mercado externo.

A Mercedes-Benz, que é lider do mercado de caminhões, e a Volkswagen Caminhões, segundo colocada neste segmento e que trabalha em três turnos, informaram que não tem programado férias coletivas para este ano. (Gazeta Mercantil/Caderno C – Pág. 1)(Sonia Moraes) Fonte: Gazeta Mercantil