Fiat apresenta o Mobi, seu novo urbano

 Responde às demandas apuradas em pesquisa: mobilidade urbana, mecânica resistente, baixo custo de manutençãoPrimeiro produto criado pós-fusão entre as marcas tuteladas por Fiat e Chrysler, o Mobi se autodefine como carro urbano e funcional. Descrição correta. Menor dentre os Fiats e atualmente o mais leve entre os nacionais com 907 kg, novo produto utiliza plataforma mista, entre Uno e Palio, e suspensão traseira do Uno. Mecânica conhecida das ásperas condições nacionais, motor Fire 1,0-litro, 75 cv.Segundo a parte Fiat da FCA, o automóvel responde às demandas apuradas em pesquisa: mobilidade urbana; mecânica resistente; barata para manter; baixo custo de manutenção. Enquadra-se na Faixa A de consumo, de menor gasto. É menor, mas não é pobre em construção. Easy, versão de entrada, não tem aparência de carro pelado, apresentando-se com para-choques pintados na cor do carro e o charme da tampa traseira em vidro temperado. Exibe democratização da tecnologia, com uso do piscador de luzes de direção quando pressionado o freio severamente, sinalizando a emergência a motoristas a segui-lo.É urbano pelas reduzidas dimensões, facilidade de manobra, pelas portas traseiras com ângulo de abertura superior aos outros nacionais, banco posterior bipartido. Interior cuidado, rádio Delphi e, a partir da versão Like On, possibilidade de fixar o celular para usá-lo como tela. Amplas possibilidades, sendo a mais interessante o registro, pelo celular, de seu último uso, permitindo indicar o local de estacionamento do Mobi.FocoNão é para cinco passageiros — exceto a usuários descompromissados na vertical ou em circunferência. Também não é um estradeiro, por seu porta-malas contido. Dependendo da versão pode-se dispor de Cargo Box, caixa com alça ajustada ao pequeno espaço de bagagem, apta a ser retirada e transportada com compras. Externamente é bem conformado, com grandes superfícies de faróis e luzes traseiras, com o talhe identificador do design Fiat.Marca o vê como carro urbano, interfaceando com o Uno, maior. Sua presença no mercado acaba com a versão básica deste e destina o Palio básico às frotas. Intenta vender 60 mil unidades até o final do ano, média de 7.500/mês. A meu ver o automóvel surge a partir da versão Easy On, portando ar-condicionado e direção assistida. A inicial não tem estes equipamentos básicos. Garantia de três anos com seguro para extensão de 12 ou 24 meses, e a possibilidade de prévio pagamento financiado das revisões. Preços a partir de R$ 31.900.
Fonte: UOL Carros / Best Cars