Fiat e Jeep: pintura sólida agora é cobrada

doblo-branco-1 Fiat e Jeep: pintura sólida agora é cobrada

Cobrar por pintura sólida está virando moda, e uma moda bem cara. Algumas marcas simplesmente dão apenas uma única opção “gratuita” para os clientes, enquanto as demais opções, sejam sólidas, metálicas ou perolizadas. A mais nova nesse time de cobradoras de cores comuns é a FCA, que botou preços nas cores branco (Banchisa e Ambiente), vermelho Alpine e preto Shadow.

Os valores variam de R$ 250 a R$ 700, dependendo do modelo e marca, que no caso são Fiat e Jeep. Na marca italiana, o branco Banchisa custa R$ 250 no Mobi, mas dobra de preço se o carro for Argo, Cronos ou Grand Siena, por exemplo. No Uno e na Weekend, essa cor custa R$ 300. Se o modelo for o Doblò, prepare o bolso: R$ 700 em três cores (brancos Kalahari e Banchisa e vermelho Alpine). O vermelho Alpine também segue a mesma ordem, restando apenas o preto Vulcano como cor de fábrica.

Na Fiat Toro, o branco é o Ambiente e o preto é o Shadow. Estas custam R$ 700 e só escapa da cobrança adicional o vermelho Colorado. O novo Ducato e o Fiorino é que não cobram pelas pinturas sólidas, que podem ser branco, preto ou vermelho. Na Jeep, o branco Ambiente custa R$ 700.

Porém, se preferir outra tonalidade, a marca americana não cobra pelas sólidas vermelho Colorado, preto Shadow e verde Recon. E tem mais, no Renegade Limited apenas o verde pode ser combinado com teto preto sem cobrança adicional, enquanto no Compass Limited, as três tonalidades obrigatoriamente vem com teto contrastante sem custo extra.

doblo-branco-1 Fiat e Jeep: pintura sólida agora é cobrada

E em outras marcas?

Na Peugeot, o branco Banquise custa R$ 690, mas há um detalhe, nos 308 e 408 Business, só há opção sólida com custo adicional, sendo o vermelho Aden também custando os mesmos R$ 690. Ou seja, aquele preço de R$ 69.990 na realidade é R$ 70.680. Na Volkswagen, o vermelho Flash custa R$ 459 no Gol, por exemplo. Já vermelho Tornado e branco Cristal custam R$ 450 no Polo.

Na Chevrolet, o branco Summit é conhecido por custar mais e a GM chega a cobrar R$ 650 por ele no básico Prisma Joy, por exemplo. Mas o mais estranho é que a pintura metálica vermelho Edible Berries não é cobrada no Cruze, por exemplo, mas o mesmo branco sai pelo valor citado no Joy. Ou seja, você paga pela sólida, mas pode levar a metálica sem custo extra. Na Ford, o branco Ártico custa R$ 500, por exemplo. Na Renault, o branco Glacier custa R$ 400.

© Noticias Automotivas. A notícia Fiat e Jeep: pintura sólida agora é cobrada é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.