Fiat investe no carro elétrico com Itaipu

Cleide Silva fez uma ampla análise no Estadão de ontem sobre o mercado de carros elétricos, que avança lentamente no Brasil. O tema não está em pauta na indústria automobilística local, diz a jornalista. A Itaipu Binacional mantém uma pequena linha de montagem na usina de Foz do Iguaçu, no Paraná, onde foram transformados até agora 15 automóveis cedidos pela Fiat. A CPFL também investiu US$ 1 milhão em projeto piloto de veículos elétricos junto com o Instituto Nacional de Eficiência Energética e a Unicamp. “Buscamos apoio de montadoras, mas nenhuma se interessou” – disse Paulo César Tavares, presidente da empresa. Marco Saltini afirmou ao Estadão que os carros elétricos ainda têm preços proibitivos, mesmo nos países desenvolvidos. Já Leonardo Cavaliere, que desenvolve o projeto na Fiat Automóveis, revelou a Automotive Business que já entregou 15 veículos de um lote de 50 previsto até final de 2009 no projeto da Itaipu Binacional, que já repassou duas unidades às concessionárias de energia Ampla e CPFL. Estão na lista também Copel (Paraná), Eletrobras (2 unidades) e Cemig (4 unidades). As baterias, de íons de sais, produzidas pela companhia suíça Mesdea, têm duração de 300 ciclos de recarga. “É possível, no entanto, prolongar para até cinco anos a vida útil das baterias, que não têm efeito memória. Basta mantê-las sempre a uma tomada de energia quando for possível” – diz Cavalieri. A recarga completa demora oito horas e permite uma autonomia de 80 quilômetros (9 de setembro).
Fonte: Automotive Business