Financiamento de veículos confirma contração


Números até novembro mostram que quitações
superaram novos empréstimos

REDAÇÃO AB

De janeiro a novembro de 2014, o
volume de recursos liberado para o financiamento de veículos somou R$
106 bilhões, registrando discreta alta de 0,3% sobre o mesmo período de 2013. O
cenário, contudo, é de contração, pois o estoque de crédito para compra de
carros em 11 meses totalizava R$ 211,9 bilhões em contratos ativos, volume 7,8%
menor do que o do mesmo período de 2013, indicando que as quitações superaram
as adesões a novos financiamentos. Esse movimento reflete a maior restrição dos
bancos em aprovar empréstimos devido ao aumento da inadimplência em anos
anteriores.

Também chama a atenção o fraco desempenho do leasing. Nos 11 meses a modalidade
concedeu R$ 2,97 bilhões para a compra de veículos, ante R$ 3,16 bilhões no
mesmo período do ano anterior. A retração de 6% mostra que os esforços das
montadoras em 2014 para maior utilização da modalidade não tiveram o efeito
esperado. Já o Crédito Direto ao Consumidor CDC cresceu 0,5% na comparação
com os mesmos meses de 2013.

Os índices de inadimplência permanecem em queda. Os atrasos de 15 a 90 dias
representaram 7% da carteira, queda de 0,1 ponto porcentual no mês, 0,7 p.p. no
ano e 1 p.p. em 12 meses. A inadimplência também caiu em novembro,
representando apenas 4% da carteira do CDC, com diminuição de 0,2 p.p. no mês,
1,2 p.p. no ano e 1,3 p.p. em 12 meses. Aos poucos, os bancos vêm “limpando”
suas carteiras dos inadimplentes.

“Esperamos que 2015 registre inadimplência ainda menor por causa da nova lei de
retomada de veículos, que tranquiliza as instituições financeiras das
montadoras e, consequentemente, favorece o crédito aos consumidores”, afirma o
presidente da Anef, Décio Carbonari.

Segundo a Anef, a taxa média de juros dos bancos das montadoras apresentou leve
queda, passando a 1,4% ao mês e 18,16% ao ano para o consumidor final, enquanto
os bancos de varejo oferecem de 1,72% a.m. e 22,7% a.a. O prazo médio de
financiamento continua em 42 meses, assim como o período máximo de 60 meses.

 

Fonte: Automotive Business