Volante tremendo, o que pode ser?

Volante tremendo, o que pode ser?

Uma das coisas mais desconfortáveis ao dirigir, sem dúvida, é ter um volante tremendo nas mãos. A sensação é bem ruim e para muitas pessoas, fica a pergunta: Volante tremendo, o que pode ser?

A direção do carro é desenvolvida para filtrar o máximo possível as irregularidades transmitidas ao conjunto por meio das rodas, que imediatamente repassam as imperfeições do solo ou do pneu para o terminal de direção que fica preso próximo da roda, no conjunto de suspensão.

Alguns sistemas mais avançados possuem programação para compensar esses movimentos involuntários que ocorrem ao passar por pisos irregulares, dando assim mais conforto e controle ao condutor.

Mas, no geral, uma pequena parte dessas vibrações acaba indo parar no volante, incomodando alguns e preocupando outros.

Neste artigo, vamos falar sobre as causas de vibração anormal no volante e como isso pode ser corrigido.

Volante tremendo, o que pode ser?

Balanceamento fora do padrão

Volante tremendo, o que pode ser?

A primeira causa que vem à mente com o volante tremendo é o balanceamento. O giro equilibrado das rodas é algo muito importante num veículo, visto que o movimento do material rodante com o solo precisa ser o mais perfeito possível, para que essa vibração não seja transmitida à direção e também para quem não haja um desgaste excessivo do pneu.

O motivo para que isso ocorra é variado, sendo que a baixa pressão é uma delas. Pneus murchos ou bem baixos estão mais suscetíveis a impactos em buracos, depressões ou outras irregularidades do solo, que afetam diretamente as rodas.

Mas existem outras causas, como excesso de calor, freadas bruscas que deformam a banda de rodagem do pneu e desgaste excessivo relacionado com quilometragem elevada (careca) ou problemas na suspensão.

O aro também pode ficar deformado por um impacto ou mesmo perder um peso para manter o equilíbrio do movimento, adicionado sempre no serviço de balanceamento.

Outra causa é a formação de bolha no pneu, que eventualmente altera o giro e faz com que a vibração passe diretamente para o volante, mesmo que a direção seja hidráulica, eletro-hidráulica ou puramente elétrica.

Para resolver a questão, é preciso fazer o serviço de balanceamento. Se o pneu estiver em bom estado ou sem defeitos provocados pelos motivos citados acima, o profissional irá coloca-lo em um equipamento para novamente adicionar pesos nas posições corretas no aro, para que o giro fica perfeito novamente, eliminando assim o desconforto de um volante tremendo.

No caso de manutenção desse equilíbrio, é necessário sempre manter a calibração correta do pneu, verificando sempre a pressão, preferencialmente uma vez por semana. Utilize sempre a medida de pneu recomendada pelo fabricante e também verifique o estado geral da suspensão (buchas, terminal, pivô, etc).

O estado geral da roda também é importante, sendo que algumas podem apresentar trincas (liga leve) ou deformidades excessivas, que não serão compensadas no equipamento de balanceamento.

Também mantenha o correto alinhamento de direção, que embora não provoque trepidação, pode gerar desgaste excessivo nos pneus, o que virtualmente contribuirá para um desconforto futuro.

Empenamento dos discos de freio

Volante tremendo, o que pode ser?

Um volante tremendo pode ser causa de problema nos freios. Nesse caso, o mais evidente é o empenamento dos discos. O motivo é que os discos de freio alcançam altas temperaturas durante a frenagem, especialmente em descidas de serra.

A frenagem prolongada acumula muita energia térmica e mesmo os discos ventilados foram projetados para dissipar o necessário para evitar um superaquecimento. No entanto, mesmo que os discos resistam bem às altas temperaturas, estes não podem receber pressão mecânica ou mudança brusca de temperatura.

Se o carro estiver parado com os discos quentes, mesmo a pressão das pastilhas (no caso de freios a disco traseiros) do freio de estacionamento, podem empenar o disco.

Mas, o que geralmente mais ocorre é um disco bem quente ser atingido por água, no caso em vias alagadas ou trechos onde o movimento da rua não é suficiente para evitar um contato maior da água, que está em temperatura ambiente, muito mais baixa.

A diferença brusca de temperatura altera a estrutura do aço do disco e o faz deformar. Nesse caso, a solução é a troca do disco. Isso porque, durante a frenagem posterior, as pastilhas tocaram a superfície do disco de forma irregular, provocando vibração excessiva no volante.

Barro preso nas rodas

Volante tremendo, o que pode ser?

Um dos motivos pelos quais o volante pode tremer durante a condução é o barro.

Quem pega trechos de estrada de terra com muita lama sabe que o barro é um inconveniente bem comum no meio rural. O problema é que, quando o carro sai do trecho enlameado e fica algum tempo parado, o barro acaba secando grudado nas rodas ou no pneu.

Mesmo pegando o asfalto, este causa uma diferença bem perceptível no equilíbrio dinâmico do pneu, provocando enorme vibração no volante.

Para resolver a questão, basta lavar o pneu com jato de pressão ou dissolver o barro em trechos alagados para retirar esse excesso que secou e assim deixar a banda de rodagem novamente livre de resíduos que alterem seu movimento.

© Noticias Automotivas. A notícia Volante tremendo, o que pode ser? é um conteúdo original do site Notícias Automotivas.