Ford mantém projeções de mercado para 2009

Mesmo com a atual crise econômica mundial, a Ford Brasil continua com o pé no acelerador. O presidente da montadora para Brasil e Mercosul, Marcos Oliveira, afirmou que o atual momento preocupa mas que as perspectivas para este ano e para 2009 estão mantidas.

“É preocupante, mas não podemos tomar nenhuma medida drástica. Outubro será o nosso parâmetro. Dependendo de como se comportar o mercado, vamos reavaliar nossas perspectivas”, disse Oliveira no lançamento do novo carro da Ford, o Edge que começa a ser vendido no Brasil em dezembro.

Oliveira acredita que o mercado brasileiro no próximo não terá o mesmo ritmo acelerado como nos últimos anos. Para ele, as vendas no mercado interno terão uma elevação entre 7% a 8% no próximo ano, chegando a cerca de 3,2 milhões de carros vendidos. Já a produção chegará, segundo o executivo, a 3,6 milhões de carros fabricados pelas montadoras no Brasil.

“Tudo vai depender do comportamento do mercado, da confiança do consumidor nos planos de financiamento. Se tudo piorar teremos que rever esta estimativa para baixo”, disse Oliveira.

O executivo ressaltou que os planos de investimento no Brasil estão mantidos. “O Mercosul já é uma região fundamental para a matriz. A percepção nos últimos 12 meses não mudou, já que continuamos lucrando num momento difícil para a companhia. E claro que não vamos além do que podemos, não vamos investir mais do que planejado, pois, temos, além do compromisso com a companhia, nossas dívidas”, disse Oliveira.

A Ford prevê investir R$ 2,2 bilhões até 2011 em novos produtos e na ampliação da capacidade. Somente neste trimestre a Ford lançou dois novos carros para o mercado brasileiro, o Novo Focus, que é produzido na Argentina e o Edge, que será importado da fábrica de Oakville, no Canadá. “São modelos que completam nosso portfólio no País e mesmo que importados, acreditamos que temos chance de ganhar mercado”, disse Oliveira. Para ele, o dólar neste ano não ultrapassará R$ 2, o que compensa a importação de veículos, mesmo o Edge que virá do Canada. “Não temos relações comerciais com o Canadá, mas acredito que isso não será um dificultador para o nicho que o Edge se encaixa”. O carro será comercializado no Brasil com o preço de R$ 149 mil a R$ 158,5 mil.

Lançado há dois anos nos Estados Unidos, o Edge é um crossover, conceito que mistura forma de uma minvan, SUV e sedan.

Fonte: Gazeta Mercantil