Ford premia aplicativos de mobilidade

 Programas integram informações de transporte público e privado
PEDRO KUTNEY, AB
A Ford divulgou os três aplicativos vencedores do Desafio São Paulo de Mobilidade, escolhidos por um júri de especialistas e também pelo voto popular entre mais de 200 inscritos. Todos os programas rodam em smartphones que se conectam ao sistema Sync AppLink usado nos carros da fabricante, podendo ser utilizados pelo motorista com comandos de voz. Em resumo, todos os três ganhadores integram de alguma forma informações sobre transporte público e privado, orientando os usuários sobre as melhores opções à disposição, como o próprio carro, ônibus, táxi e até carona. O aplicativo Muvall, que integra informações de ônibus e carona, foi o vencedor tanto na escolha dos jurados como no voto popular. O programa foi desenvolvido em apenas três meses por Gabriel Araújo, 20 anos, estudante de Sistemas de Informação de São Paulo. “Acho que a simplicidade e facilidade de uso são os principais atrativos do Muvall. Basta fazer o login pelo Facebook ou SMS e informar o seu destino para saber quais linhas de ônibus podem ser utilizadas, com a localização no mapa em que esses veículos se encontram”, explica Araújo. O sistema também oferece uma rede colaborativa de transporte: quem está a pé pode informar a conhecidos que estão nas redondezas de carro para pegar uma carona. Inicialmente, Araújo desenvolveu o Muvall para rodar no sistema IOS da Apple, com interface para o Sync AppLink da Ford. “Mas pretendo lançar o aplicativo no ano que vem para uso com Android também”, diz. O júri escolheu em segundo lugar o Aplicativo MOBQI, desenvolvido por três anos por Ernani Machado, de Belo Horizonte MG, com a ambição nada pequena de oferecer uma plataforma completa de mobilidade urbana inteligente. De fato, o programa tem mais de uma dúzia de funcionalidades, incluindo informações de localização e melhores rotas de carro, táxi, ônibus, bicicleta ou mesmo a pé – nestes dois últimos casos informando até a quantidade de calorias gastas. O MOBQI mostra a localização de diversos estabelecimentos comerciais, incluindo postos de combustíveis e seus respectivos preços em 1.875 cidades, além de monitorar as emissões de CO2 dependendo do meio de transporte utilizado. Também tem um viés de segurança, ao informar rotas mais seguras, localização de viaturas de polícia próximas e enviar alertas às autoridades sobre ocorrências. Se quiser, o usuário pode ainda monitorar as câmeras de trânsito para verificar como está a situação em vias que pretende passar. Para taxistas e operadores de frotas de ônibus, o MOBQI tem ferramentas de gerenciamento financeiro, controle de clientes, rotas e manutenção de veículos. “Fizemos testes práticos durante quase um ano com mais de 25 mil usuários em 38 cidades de seis países. O MOBQI foi criado para ser internacional e consegue entregar mais informações e processar mais dados que qualquer outro sistema de mobilidade no mundo”, diz Ernani Machado. “Devemos usar a tecnologia para tornar as cidades mais inteligentes, integradas e sustentáveis”, acrescenta. O Vita foi o terceiro melhor aplicativo, escolhido pelo júri montado pela Ford. A ideia é reduzir os congestionamentos das grandes cidades por meio de monitoramento de dados em tempo real para orientar motoristas, pedestres, caroneiros, ciclistas, passageiros de táxi e de transporte público a escolher o melhor meio de transporte e planejar seu trajeto diário. Os desenvolvedores Enrique Maelgarejo, Felipe Melz, Guilherme Bisotto e Lucas Carletti, todos de Porto Alegre RS, planejam lançar um crownfunding no início de 2016 para financiar o lançamento comercial do Vita até o fim do ano que vem. O Vita reúne grande volume de dados sobre o trânsito e histórico dos trajetos dos usuários. Além de diminuir o tempo de viagem e os custos de transporte, indica o que é melhor para a saúde e o meio ambiente, gerando menos emissões. As rotas ficam grava
Fonte: Automotive Business