Fornecedores e crédito farto dão fôlego às montadoras

Afinal, o que alimenta o crescimento da indústria automobilística? Elevação de salários, confiança do consumidor na manutenção do emprego, bons sinais da economia? Tudo isso e mais um pouco para ajudar, como a expansão de 18,6% no volume de crédito na praça para financiar carros – nos últimos doze meses a disponibilidade evoluiu de US$ 71,1 bilhões para US$ 84,3 bilhões. Os juros estão razoavelmente bem comportados, na casa dos 21,3%. Em um ano houve um avanço de 1,9 ponto percentual nos juros. A inadimplência está sob controle, ao nível de 3,6%, contra 7% para todos os bens do mercado, segundo dados do Banco Central. O fortalecimento da cadeia de suprimentos, com o amadurecimento de investimentos, é outro ponto forte para a evolução dos negócios, assegurando o ritmo acelerado das linhas de montagem nas montadoras. No segmento que atende a produção de caminhões, um dos principais players garante que já tem encomendas para assegurar avanço de 20% a 30% nos volumes de 2009. Para um setor acostumado a disritmias freqüentes nos anos recentes, o crescimento continuado é notícia surpreendente (7 de agosto).

Fonte: Automotive Business