GM do Brasil reestrutura parte da diretoria

                                             da Redação

A General Motors do Brasil anunciou mudanças em sua diretoria executiva. A principal delas é a aposentadoria, a partir do dia 31 de dezembro de 2010, de José Carlos Pinheiro Neto, vice-presidente e atual diretor-geral de relações públicas e governamentais da companhia. O executivo ingressou na GM em 1970, como advogado.

Nesse período, Pinheiro Neto foi diretor da área de exportação, presidente do Conselho da Associação Classista Desportista da GM em São Caetano do Sul, vice-presidente do Conselho de Mantenedores do Instituto General Motors – IGM, e diretor do banco GM, hoje Banco GMAC. O executivo também presidiu a Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), entre os anos de 1998 e 2001.

A partir do dia 1º de junho de 2010, Marcos Munhoz, até então diretor-geral de marketing e vendas, passa a ocupar o cargo de diretor de Comunicações, Relações Públicas e Governamentais. Após a aposentadoria de Pinheiro Neto, Munhoz passa a se reportar diretamente a Jaime Ardila, presidente da GM do Brasil e Mercosul.

Para assumir o cargo deixado por Marcos Munhoz, a GM repatriará Ronaldo Znidarsis, atual diretor geral da GM venezuelana, a partir do dia 1º de junho de 2010. Francisco Stefanelli, atual diretor nacional, será transferido para a GM Venezuela para assumir o cargo de diretor-geral.

Luiz Lacreta, atual diretor-geral de Pós-Vendas, assumirá o lugar hoje ocupado por Stefanelli no Brasil. Para fechar a dança das cadeiras, Isela Costantini, atual diretora geral de Planejamento e Pesquisa de Mercado, passa a assumir a função de diretora-geral de Atendimento ao Cliente e Pós-Vendas.

Em 30 de junho se aposentam os executivos Adhemar Nicolini, diretor geral da divisão Powertrain Mercosul, e João Rotta, diretor Jurídico. Rotta será substituído por Ana Cássia Mercante.

Fonte: Interpress Motor