GM e Ford dão incentivo a desempregados para estimular vendas

SOYOUNG KIM – REUTERS

DETROIT – A General Motors e a Ford anunciaram uma nova série de incentivos para compras de veículos por clientes que tenham perdido seus empregos, seguindo a ação das concorrentes de oferecer descontos pesados para atrair consumidores afastados pela recessão.

A GM, que já recebeu 13,4 bilhões de dólares em empréstimos do governo para sobreviver desde o início do ano, informou nesta terça-feira que vai cobrir nove prestações de veículos, de até 500 dólares por mês, se seus clientes perderem a renda. A oferta passará a valer na quarta-feira e durará até 30 de abril.

Por sua vez, a Ford, que não pediu financiamento do governo, divulgou que vai cobrir pagamentos pelo período de até um ano se os clientes perderem seus empregos, sob um programa que valerá até 1 de junho.

Ambos os programas, oferecidos após a criação do financiamento à taxa de zero por cento, vieram em uma época em que as vendas de automóveis nos Estados Unidos estão em seus menores níveis em cerca de três décadas, pressionadas pelo aperto do crédito e pela fraca confiança do consumidor.

As vendas de veículos norte-americanos devem cair 40 por cento em março, frente a um ano antes, para a mínima em mais de 27 anos, aumentando a pressão sobre o setor automotivo, intensamente debilitado, de acordo com levantamento feito pela Reuters com 31 economistas.

Precisou ir ao fundo do poço para criarem esse programa? Se tivessem feito isso antes de chegar a essa situação, talvez teria dado mais resultado. A GM e a Ford sempre foram lentas para tomar ações; por isso a FIAT deita e rola – A Fiat sempre foi arrojada, uma característica que falta as montadoras americanas. É bem certo que ter a FIAT como cliente é uma decepção, pois as coisas mudam do dia para a noite; às vezes mudam programações da manha para a tarde. Mas é inegável que eles não ficam nunca estagnados.

Fonte: O Estado de São Paulo