GM pede mais US$ 30 bilhões para evitar falência

Rick Wagoner Presidente da GM em coletiva

bMarca apresentou plano de reestruturação ao governo dos EUA

Alberto Cataldi

Rick Wagoner em coletiva sobre plano de reestruturação da GM
O governo dos Estados Unidos confirmou que a General Motors entregou seu plano de reestruturação dentro do prazo definido, embora não tenha divulgado detalhes de seu conteúdo. Segundo o chefe executivo do grupo, Rick Wagoner, as propostas são simples, efetivas e possíveis de serem cumpridas, baseadas em estimativas feitas durante este período de crise para adaptar as operações da marca aos novos tempos. “Temos muito trabalho pela frente, mas estamos confiantes que noss plano resultará em uma General Motors sustentável e lucrativa”, declarou Wagoner.

Com os planos, a GM também apresentou uma estimativa financeira bem pessimista. A marca diz precisar de cerca de US$ 30 bilhões dentro dos próximos meses, a fim de evitar a falência e tornar-se lucrativa nos próximos dois anos. Mesmo com o novo empréstimo, o grupo ainda terá de demitir 43 mil trabalhadores em todo o mundo neste ano e outros 20 mil nos EUA nos próximos três anos, além de fechar 14 fábricas.

O presidente Barack Obama se vê em um impasse. A GM já teve acesso a US$ 13,4 bilhões desde o início da crise e, caso o governo negue o plano de reestruturação e peça que o dinheiro seja devolvido, o grupo terá de pedir falência. Segundo Wagoner, custaria US$ 100 bilhões para fazer uma reestruturação ordenada pela justiça. O CEO, porém, não comentou sobre a possível venda de marcas do Grupo GM para adquirir fundos.

Fonte: Auto Esporte