GM registra prejuízo de US$ 1,2 bi no terceiro trimestre

                                             da Folha Online

A montadora americana GM (General Motors) informou nesta segunda-feira que perdeu US$ 1,2 bilhão no trimestre passado. A empresa anunciou a saída da proteção do capítulo 11 da Lei de Falências americana –o equivalente à concordata, ou à recuperação judicial no Brasil– em 10 de julho. Trata-se do primeiro balanço trimestral da montadora após a concordata.

A perda é menor que a verificada em trimestres anteriores e foi recebida por analistas como sinal de que a empresa começa a se recuperar da crise em que se encontra.

A GM entrou na proteção sob o capítulo 11 com cerca de US$ 94,7 bilhões em dívidas, e saiu dela com US$ 17 bilhões, incluindo os US$ 6,7 bilhões da dívida com o governo –que concedeu à montadora US$ 52 bilhões (dos quais US$ 45,3 bilhões foram concedidos em troca de uma participação de 61% na empresa).

Pelo programa, os proprietários recebiam subsídios federais no valor de até US$ 4.500 para trocar seus carros usados por novos, mais eficientes no uso de combustível.

A montadora anunciou planos para começar a pagar empréstimos de US$ 6,7 bilhões ao Tesouro norte-americano até o final do ano. O plano é iniciar os pagamentos via modestas melhoras operacionais.

A GM vai começar a fazer pagamentos de parcelas trimestrais de US$ 1 bilhão em 31 de dezembro. Ao mesmo tempo, a montadora vai também começar a pagar um empréstimo de US$ 1,4 bilhão feito pelo Canadá a um ritmo de US$ 200 milhões por trimestre.

No terceiro trimestre de 2008 a empresa teve uma perda de US$ 2,5 bilhões.

O fabricante de automóveis diferenciou os resultados da “velha GM” (que existiu até 9 de julho) e os da empresa criada no dia 10 de julho, após a saída da concordata.

Por exemplo, a empresa disse que de 1 a 9 de julho, “a velha GM” teve uma receita de US$ 1,637 bilhão, enquanto que de 10 de julho a 30 de setembro a receita da GM foi de US$ 26,352 bilhões.

O executivo-chefe da GM, Fritz Henderson, expressou seu moderado otimismo com os anúncios de hoje e os qualificou como “resultados de gestão preliminares”. “Temos mais trabalho a fazer, mas os resultados de hoje são prova dos sólidos alicerces que estamos construindo para a nova General Motors”, disse Henderson, em comunicado.

Fonte: Folha Online