Governo da Alemanha descarta ajudas imediatas para a Opel

Publicidade
da Efe, em Berlim

O ministro da Economia da Alemanha, Karl-Theodor zu Guttenberg, descartou nesta segunda-feira que o governo vá decidir de maneira imediata sobre as possíveis ajudas oficiais à empresa automobilística Opel.

“Hoje não haverá com segurança uma decisão ao respeito”, disse Guttenberg em declarações ao informativo matinal da televisão pública alemã ARD, pouco antes de a direção da Opel lhe apresentar o plano de saneamento da empresa.

Acrescentou que antes deverá ser comprovado se realmente existe uma perspectiva de futuro real e depois terá que medir com diferentes critérios se é possível conceder alguma ajuda.

O titular de Economia anunciou também uma próxima viagem aos Estados Unidos para falar diretamente com a direção da matriz americana, a General Motors, para esclarecer questões abertas sobre o futuro da empresa alemã.

A sobrevivência da Opel está em jogo devido à crise do setor do automóvel em nível mundial e à grave situação da General Motors, que arrasta perdas de dezenas de bilhões de dólares. Na sexta-feira (27), a empresa informou precisar de 3,3 bilhões de euros (cerca de US$ 4,1 bilhões) e quer se separar de sua matriz.

Após uma reunião de urgência do conselho de vigilância da Opel em Rüsselsheim, o diretor da General Motors Europa, Carl-Peter Forster, afirmou que a companhia apresentará na segunda-feira o plano de futuro para o governo alemão, que colocou o desmembramento como condição para conceder o resgate à empresa.

Alguns analistas consideram que a única possibilidade de sobrevivência para a Opel é se separar da General Motors, que anunciou recentemente que deseja cortar maciçamente empregos na Europa.

No entanto, Forster afirmou que a Opel quer permanecer como parte do consórcio General Motors como uma sociedade europeia independente para se beneficiar do acesso à tecnologia. Além disso, a empresa estaria aberta a investimentos de terceiras partes.

A Opel tem quatro fábricas na Alemanha. Além disso, está presente na Bélgica, na Inglaterra, na Polônia e na Espanha.

Fonte: Folha Online