Governo dita as regras na GM, Chrysler e Ford

O pacote de socorro à indústria automobilística obrigará as três grandes montadoras americanas, General Motors, Ford e Chrysler, a aceitar um grau inédito de interferência do governo nos negócios. Pelo rascunho do projeto em discussão no Congresso, as empresas terão de rever as políticas de remuneração de seus executivos, suspender o pagamento de dividendos aos acionistas e submeter seus investimentos à aprovação de um funcionário do governo incumbido de monitorar as companhias beneficiadas pelo plano. Qualquer transação superior a US$ 25 milhões terá de ser submetida à avaliação desse funcionário e poderá ser simplesmente vetada por ele (Valor, 10 de dezembro).

Fonte: Automotive Business