Grupo Volkswagen tem prejuízo de € 1,67 bilhão no 3º trimestre

 Resultado é impactado pelos custos com o escândalo de fraude em motores a diesel
REDAÇÃO AB
O Grupo Volkswagen anunciou prejuízo de € 1,67 bilhão no terceiro trimestre deste ano revertendo lucro líquido de € 2,97 bilhões registrado em mesmo período de 2014, informa em comunicado divulgado na quarta-feira, 28. O resultado causou a maior parte da queda de 54% do lucro líquido no acumulado de nove meses, que passou de € 8,68 bilhões em igual intervalo de 2014 para € 3,99 bilhões neste ano.Este é o primeiro prejuízo trimestral em pelo menos 15 anos, diretamente impactado pela despesa extraordinária de € 6,7 bilhões para custear o recall de pelo menos 11 milhões de veículos em todo o mundo e cujos motores a diesel estão equipados com um software que burla os testes de emissões de poluentes.O faturamento do grupo cresceu 5,3% nos três meses até setembro, para € 51,4 bilhões, o que contribuiu para o aumento de 8,5% da receita no acumulado entre janeiro e setembro, para € 160,2 bilhões, impulsionada pelo bom desempenho das vendas na Europa e que compensaram a fraqueza de mercados emergentes, como o Brasil e a Rússia. Já o lucro operacional do terceiro trimestre também ficou prejudicado com os custos do escândalo, revertido para um prejuízo de € 3,47 bilhões. No acumulado, o lucro operacional de € 3,34 bilhões é 64,5% menor do que o obtido em igual período de 2014, quando o resultado foi de € 9,41 bilhões. A receita e o lucro operacional citados não consideram os ganhos com as joint ventures na China, cujo lucro operacional ficou 2,5% abaixo do apurado no ano passado, para € 3,8 bilhões.Considerando o volume de vendas, as entregas totais durante o terceiro trimestre caíram 3,7%, passando de 2,43 milhões de unidades para 2,35 milhões enquanto a produção diminuiu 11,6% no mesmo período, de 2,40 milhões para 2,12 milhões. Nos nove meses fechados do ano, as vendas do grupo recuaram 2,7%, para 7,44 milhões de unidades – há um ano este volume era de 7,64 milhões. A produção retraiu na mesma proporção, 2,6%, para 7,43 milhões contra as 7,63 milhões do mesmo acumulado de 2014. “Por um lado, os números mostram a força do Grupo Volkswagen, enquanto que por outro, o impacto inicial da situação atual está se tornando mais claro. Faremos de tudo o que estiver ao nosso alcance para reconquistar a confiança que perdemos”, declarou Matthias Müller, presidente do conselho de administração do Grupo Volkswagen, em Wolfsburg, na Alemanha, durante a apresentação do balanço. O executivo assumiu o posto há pouco mais de um mês após o seu antecessor Martin Winterkorn renunciar ao cargo após admitir que o grupo instalou o software fraudador em seus veículos.O fluxo de caixa da divisão automotiva aumentou de € 5,5 bilhões para € 11,8 no acumulado do ano até setembro, elevando a liquidez da divisão para € 27,8 bilhões. “O Grupo Volkswagen tem recursos muito sólidos e robustos de liquidez. Isso nos ajudará a gerir a situação de desafio causado pelo impacto financeiro na questão do diesel”, disse o diretor financeiro Frank Witter. Com os resultados, a empresa reduziu a previsão de lucro para o ano devido às acusações com as irregularidades no software instalado em alguns motores a diesel. “Esperamos que o lucro operacional tanto para o grupo quando para a divisão automotiva deva ser significantemente menor no comparativo anual”, diz a nota. A companhia também informa que as vendas em 2015 devem permanecer no mesmo nível do ano passado, quando foram vendidos 9,91 milhões de veículos, e que dependendo do fechamento das condições econômicas para o ano, é esperado um aumento de até 4% no faturamento sobre o ano anterior.
Fonte: Automotive Business